Açoriano Oriental
Cemitério do Pico da Pedra só com 22 covados disponíveis

Falecendo a 23.ª pessoa, esta já não terá lugar no cemitério. Junta alega que a CMRG trocou a ampliação da infraestrutura pela realização de obras em vias

Cemitério do Pico da Pedra só com 22 covados disponíveis

Autor: Paulo Faustino

A Junta de Freguesia do Pico da Pedra (JFPP) lamenta que a obra de ampliação do cemitério local “tenha sido adiada sem data prevista”, isto porque nesta infraestrutura já só existem 22 covados disponíveis.

A autarquia considera que a decisão de adiamento, por parte da Câmara Municipal da Ribeira Grande (CMRG), é “inadmissível e inaceitável”.

“Aquilo que o Sr Presidente  da  Câmara está a  fazer  é  pedir –e  esperar –que até ao  final  do ano não faleçam mais de 22 pessoas na Freguesia do Pico da Pedra, uma vez que a 23ª pessoa não terá lugar no Cemitério da sua Freguesia, por só existirem 22 covados disponíveis”, declara a JFPP num comunicado enviado a este jornal.

A Junta do Pico da Pedra diz igualmente lamentar que a decisão camarária tenha sido alegadamente tomada na sequencia de uma ‘sondagem’ de Facebook, “que mais não foi do que uma triste encenação”. Argumenta que o presidente da CMRG “terá lançado a sondagem no dia 5 de maio e, no dia 7 de maio, apenas 2 dias depois, lança um concurso público”. “Ora, um concurso público em condições nunca poderia ter sido preparado em 2 dias. A verdade é outra;a Câmara desistiu da obra do Cemitério do Pico da Pedra e procurou apaziguar o muito descontentamento com o estado das nossas ruas, denunciado há anos. Um descontentamento gerado por anos e anos de desinvestimento e de falta de manutenção”, frisa no comunicado.

O município ribeira-grandense lançou na passada sexta-feira o concurso público para a requalificação da rua da Lomba, do Largo de São João e do Loteamento da Magnólia, uma situação que a junta não deixa de encarar com “bons olhos”, reconhecendo que vai melhorar a circulação rodoviária na freguesia.

“Saudamos o investimento nas nossas ruas, concordamos e apoiamos”, enfatiza a autarquia. Que considera que esse esforço devia até ir mais longe, abrangendo a rua João Luís Pacheco da Câmara, rua dos Prazeres, rua dos Ledos, rua do Foral e restantes vias da localidade “que se encontram num estado lamentável. Isso sim - acrescenta - seria um investimento justo e sério”.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados