Cécilia e Nicolas Sarkozy anunciam separação

Cécilia e Nicolas Sarkozy anunciam separação

 

Lusa / AO online   Internacional   18 de Out de 2007, 21:17

O Presidente francês, Nicolas Sarkozy, 52 anos, e a mulher, Cécilia, 49 anos, decidiram separar-se "por mútuo acordo", anunciou a presidência francesa em comunicado.
 "Cécilia e Nicolas Sarkozy anunciam a sua separação por mútuo acordo. Não farão qualquer comentário", diz o comunicado de apenas 15 palavras.

Duas horas mais tarde, um segundo comunicado da presidência precisava que o casal se tinha "divorciado por mútuo acordo".

A presidência oficializou uma separação que há vários dias era alvo da atenção da imprensa francesa.

Cécilia Sarkozy e o marido Nicolas terminam assim um casamento de 11 anos. Têm em comum um filho, Louis, de dez anos. Nicolas Sarkozy tem dois filhos de um primeiro casamento e Cécilia duas filhas também de um casamento anterior.

A separação do casal tem sido notícia nos meios de comunicação social franceses com mais insistência desde há duas semanas, uma vez que o casal não era visto em público desde o Verão passado.

A ausência de Cécilia na recente deslocação de Sarkozy à Bulgária, onde era esperada com grande expectativa devido ao papel que desempenhou na libertação das enfermeiras búlgaras detidas na Líbia, aumentou as especulações.

O casal esteve separado alguns meses em 2005-2006, mas reconciliou-se durante a campanha para as presidenciais francesas. Cécilia não votou, no entanto, na segunda volta das eleições que deram a vitória a Nicolas Sarkozy há cinco meses.

O divórcio, durante o mandato presidencial, é um acontecimento inédito em França. Mas Sarkozy também foi o primeiro Presidente francês eleito divorciado.

Filho de imigrantes húngaros, Nicolas Sarkozy colocou toda as sua energia ao serviço de uma só vontade: ser Presidente.

Cécilia, a "mulher da sua vida", apoiou-o nesta luta, nomeadamente durante a sua travessia do deserto, em meados dos anos 1990.

Mas Cécilia, 49 anos, antiga modelo, sempre disse querer ser uma mulher "livre" e mantinha-se renitente em tornar-se Primeira Dama.

Em 2005, o casal separou-se pela primeira vez, mas temporariamente. Cécilia viveu alguns meses nos Estados Unidos, onde foi fotografada na companhia de um publicitário francês.

Reconciliaram-se em 2006. "Definitivamente" e "sem dúvida para sempre", afirmou então Sarkozy.

Há algumas semanas, Nicolas Sarkozy confidenciou: "no fundo, Cécilia é a minha única preocupação". "Ela é uma parte de mim", escreveu o Presidente no ano passado. "Não podemos nem sabemos estar afastados um do outro", acrescentou.

O divórcio ocorre num contexto político menos sereno para Sarkozy, após vários meses de "estado de graça" junto da opinião pública.

A sua popularidade, mesmo se ainda elevada, recua à medida que se acumulam as tempestades económicas e hoje Sarkozy é confrontado com o primeiro sinal de descontentamento social, uma greve de 24 horas nos transportes, que regista forte adesão, contra os seus projectos de reformas.

A separação dos Sarkozy acontece alguns meses após a do casal sensação da esquerda francesa, Ségolène Royal - batida por Nicolas na eleição presidencial - e o líder do Partido Socialista François Hollande.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.