Açoriano Oriental
CDS/Açores denuncia estagnação na requalificação da marina de Velas em São Jorge

O CDS/Açores considera que a falta de informação acerca da requalificação da marina de Velas, em São Jorge, revela a “demora sistemática do Governo [Regional] em investir” na ilha, comprometendo o seu desenvolvimento.

CDS/Açores denuncia estagnação na requalificação da marina de Velas em São Jorge

Autor: Lusa/AO Online

Em visita a esta infraestrutura, no âmbito das jornadas parlamentares do partido em São Jorge, a deputada eleita pelo círculo da ilha, Catarina Cabeceiras, considerou que a demora na requalificação daquela marina “demonstra a demora sistemática do Governo [Regional] em investir em São Jorge, o que compromete o desenvolvimento económico e social da ilha".

Segundo adianta a nota enviada hoje pelo partido, além da deputada jorgense, também o líder da estrutura regional, Artur Lima, e o deputado Alonso Miguel estiveram presentes na visita, em que evidenciaram “nada saber sobre o estudo proposto pelo CDS para a sua requalificação e que foi aprovado no parlamento”.

Citada em nota de imprensa, Catarina Cabeceiras denunciou que “é preciso muita persistência, muita reivindicação, para que este Governo e esta maioria socialista olhem para São Jorge”, acrescentando que “esse é um trabalho que o CDS tem feito no parlamento”.

Também Artur Lima reiterou que “esta visita demonstra o trabalho do CDS e a omissão do Governo para com a ilha de São Jorge” e destacou que “o CDS, como oposição responsável, fez aprovar na assembleia o estudo de requalificação da marina de Velas”.

O líder centrista afirmou que, sobre esta matéria, “o Governo, como em muitas áreas da governação, como sempre, parece que nada fez” e defendeu que “os jorgenses e os açorianos merecem que as coisas sejam feitas e que as suas necessidades sejam atempadamente atendidas”.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.