Liga

Braga e Benfica anulam-se e desperdiçam pontos

Braga e Benfica anulam-se e desperdiçam pontos

 

Lusa/AO   Futebol   23 de Set de 2007, 21:41

O Benfica cedeu mais terreno na luta pelo título na Liga, ao empatar (0-0) no reduto do Sporting de Braga, em encontro da quinta jornada da prova.
 O técnico espanhol dos "encarnados", José António Camacho, queria uma vitória neste encontro para poder receber o Sporting, na próxima jornada, com outra tranquilidade, mas a sua equipa não foi capaz de se impor a um Sporting de Braga que vinha de duas derrotas, uma em Setúbal (3-1) e outra na Suécia (2-1), e que hoje esteve bem mais próximo do seu real valor.

    Vindas de derrotas europeias pela mesma margem (2-1), as duas equipas anularam-se mutuamente, resultando daí um jogo com pouca qualidade e sem grande espectacularidade, e onde os guarda-redes pouco trabalho tiveram, embora Quim tenha sido chamado a duas intervenções de "risco".

    Relativamente ao jogo com o Hammarby, o técnico do Braga deixou de fora o esquerdino Wender, fazendo entrar para o seu lugar Castanheira, enquanto, na defesa, Carlos Fernandes cedeu o lugar a César Peixoto.

    Já no Benfica, a novidade no "onze" foi a inclusão do jovem camaronês Binya, que assim se estreou na Liga, ficando de fora o avançado paraguaio Cardozo, que cedeu o seu lugar a Nuno Gomes. Também Miguel Vítor saiu de central, posto ocupado por Katsouranis.

    Com Castanheira - a surpresa - como organizador do jogo ofensivo, o Braga entrou mais forte, mas o mais que conseguiu foram dois pontapés de canto nos minutos iniciais.

    Aos 10 minutos, Vandinho, numa boa iniciativa individual e com um remate de meia distância, testou a atenção de Quim, que defendeu pela linha de cabeceira.

    Na resposta, e num lance de contra-ataque, onde surgiram quatro jogadores do Benfica para dois do Braga, Rodriguez rematou à figura de Dani Mallo e, na recarga, Rui Costa atirou contra um adversário, ganhando o primeiro canto para o Benfica.

    Sem arriscar muito no ataque, o Benfica começava a subir de produção e, aos 22 minutos, chegou mesmo a ameaçar a baliza do Braga, com Nuno Gomes a corresponder bem a um cruzamento de Di Maria, valendo a oposição do central Paulo Jorge.

    Bem no jogo, os bracarenses sentiam agora mais dificuldade para ameaçar a baliza de Quim, enquanto o Benfica, aos 36 minutos, após um pontapé de canto, viu Rui Costa rematar em habilidade sobre a barra.

    Nos últimos minutos, o futebol ofensivo dos bracarenses reapareceu, valendo Quim na baliza do Benfica para que o nulo se mantivesse até ao intervalo.

    Aos 44 minutos, após cruzamento de Zé Manel, o guarda-redes benfiquista, com uma palmada, tirou a bola da cabeça de Jorginho e, no minuto seguinte, fez a defesa do jogo, ao negar o golo a Linz que, à boca da baliza, cabeceou após cruzamento de César Peixoto.

    Para a segunda parte nenhuma das equipas apresentou novidades, mas o futebol praticado foi ainda mais lento e sem grande objectividade de parte a parte.

    Camacho, aos 64 minutos, foi o primeiro a mexer na equipa, fazendo sair Nuno Gomes e Di Maria, para entrar Nuno Assis e Cardozo, e Jorge Costa respondeu de imediato, com as saídas de Zé Manel e Castanheira, entrando para os seus lugares Lenny e Wender.

    Apesar das substituições, pouco ou nada se alterou no jogo e foi preciso esperar pelo minuto 78 para ver Lenny fazer um "nó cego" a Luís Filipe e rematar com algum perigo.

    Pouco depois, o mesmo atleta dos bracarenses, em posição frontal, rematou com intencionalidade, mas Quim, com a perna, evitou o golo na sua baliza.

    O jogo ganhou então outro ritmo e, aos 81 minutos, após mais um canto apontado por Rui Costa, EdCarlos, em desequilíbrio, rematou ao lado.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.