Euronext Lisboa

BCP impulsiona PSI 20 ao subir mais de 7%


 

Lusa / AO online   Economia   26 de Out de 2007, 19:06

A Euronext Lisboa fechou esta sexta-feira em alta, em sintonia com as congéneres europeias, com o PSI 20 a subir 1,28 por cento para 12.894,48 pontos, com o BCP a ganhar mais de 7 por cento.
Dos 20 títulos que integram o principal índice da bolsa portuguesa, sete subiram, 10 desceram e três ficaram inalterados, numa sessão de forte liquidez.

Pela positiva destaque para BCP, BES e Cimpor.

Do lado negativo referência para Semapa, Sonae Indústria e PT Multimédia.

A Europa encerrou em terreno positivo, acompanhando a tendência de Wall Street, beneficiando sobretudo dos ganhos de títulos de mineiras e de petrolíferas, num dia em que o petróleo atingiu novo máximo histórico em Nova Iorque e os preços do cobre aumentara.

Assim, entre os ganhos mais acentuados ficaram Rio Tinto, Anglo American, BHP Billiton, Xstrata e Antofagasta, assim como BP, Royal Dutch Shell, Total e ENI.

Destaque ainda para títulos de telecomunicações como Deutsche Telekom, Telefonica e Vodafone, tecnológicas como Philips, Ericsson e Nokia, e bancos como Santander, HSBC e Intesa.

O índice de referência DJ Stoxx 50 fechou em alta de 0,71 por cento, para 3.843,82 pontos, enquanto o Euronext 100 encerrou a ganhar 0,36 por cento, para 1.037,84 pontos.

As valorizações nas congéneres da bolsa portuguesa oscilaram entre os 0,21 por cento de Frankfurt e os 1,42 por cento de Madrid.

Na Euronext Lisboa, a banca dominou a atenção dos investidores, depois de na quinta-feria após o fecho o BPI ter anunciado que propôs ao BCP uma fusão entre as duas instituições.

O BCP liderou os ganhos no PSI 20 ao subir 7,21 por cento para 3,42 euros, o BES progrediu 2,24 por cento para 16,87 euros e o BPI deslizou 0,15 por cento para 6,50 euros a corrigir em baixa depois de ter atingido novo máximo histórico nos 6,96 euros.

O maior banco privado português foi o título mais negociado com 72,7 milhões de acções trocadas.

O BPI anunciou quinta-feira que enviou ao conselho de administração executivo do BCP uma proposta de fusão dos dois bancos, a qual o banco liderado por Filipe Pinhal vai agora analisar, de acordo com o comunicado do BCP divulgado ao final de quinta-feira.

O BPI oferece meia acção sua por cada acção do BCP na proposta de fusão por incorporação que fez chegar à administração do banco concorrente, tendo esta até 15 de Novembro para dizer se aceita.

A Brisa viveu uma sessão negativa, ao recuar 0,21 por cento para 9,46 euros, tendo as desvalorizações sido lideradas pela Semapa com uma queda de 2,45 por cento para 11,17 euros.

A Galp Energia fechou em queda de 0,18 por cento para 11,28 euros, a REN ficou inalterada nos 3,48 euros e a EDP avançou 0,23 por cento para 4,35 euros.

No grupo Portugal Telecom (PT), a operadora de telecomunicações subiu 0,19 por cento para 10,33 euros, enquanto a PT Multimédia recuou 1,69 por cento para 9,86 euros.

No universo Sonae, a Sonae Indústria caiu 1,89 por cento para 8,31 euros, enquanto Sonaecom e a casa-mãe ficaram inalteradas nos 3,85 e 1,97 euros, respectivamente.

Durante a sessão foram transaccionadas 121,8 milhões de acções, correspondentes a um volume de negócios de 533 milhões de euros.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.