37 por cento das empresas suiças já sofreram fraudes


 

Lusa/AO online   Economia   16 de Out de 2007, 17:22

Quatro em cada dez empresas suíças já sofreram algum tipo de fraude entre 2005 a 2007, segundo um relatório publicado hoje pela consultora PriceWaterhouseCoopers (PwC).
      O relatório que aborda a realidade de 5.400 empresas revela que apesar dos esforços do governo e das empresas para diminuir a corrupção "a ameaça de sofrer um crime económico é bastante significativa para as empresas suíças", segundo explica o PwC no estudo.

    Os principais delitos apontados são: apropriação indevida de bens (27 por cento), desvio de verbas (22 por cento), branqueamento de dinheiro (21 por cento) e corrupção e suborno (19 por cento).

    O relatório explica também que na metade dos casos os autores dos crimes são os altos executivos das próprias empresas e em 27 por cento são trabalhadores temporários, algumas das razões apresentadas foram as motivações financeiras e a decepção do trabalho.

    Apesar de alguns casos serem descobertos, na maioria das vezes os autores dos crimes não sofrem nenhuma sanção jurídica porque muitas empresas preferem evitar a má publicidade e temem que a sua reputação sofra repercussões.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.