Açoriano Oriental
Covid-19
Vacinação deve manter-se em cenário novo confinamento

A vacinação contra a covid-19 deve manter-se mesmo num cenário de novo confinamento em Portugal, face ao agravamento da pandemia, defendeu o coordenador da ‘taskforce’ nomeada pelo governo.

Vacinação deve manter-se em cenário novo confinamento

Autor: Lusa/AO Online

“Espero que haja condições para manter o processo de vacinação como uma exceção a esse confinamento, embora a prioridade nas próximas duas ou três semanas continuará a ser, claramente, a vacinação em lares e entidades de cuidados continuados. Portanto, a questão de confinamento não coloca especiais preocupações”, afirmou Francisco Ramos à agência Lusa, sobre o cenário já admitido na quinta-feira pelo primeiro-ministro, António Costa.

“Se, de facto, isso vier a ocorrer ainda quando começar a vacinação nos centros de saúde, a expectativa é que possa ser considerada uma exceção - como há outras - e que as pessoas possam dirigir-se aos pontos de vacinação para assim a concretizarmos”, observou ainda o responsável da ‘taskforce’ de vacinação contra a covid-19.

Com a intensificação da pressão sobre o Serviço Nacional de Saúde (SNS), derivada dos novos máximos de casos e internamentos hoje atingidos, Francisco Ramos manifestou a esperança de que a situação não venha a condicionar nas próximas semanas a disponibilidade de profissionais de saúde para a administração de vacinas.

“Esperemos que não. A situação não é fácil, mas que nos permita em termos de plano de vacinação continuar a executá-lo para que daqui a alguns meses possamos ter o resultado desse processo”, notou, assinalando a adesão à vacina superior a 90% entre os profissionais de saúde e os residentes em lares e internados em unidades de cuidados continuados, confirmando a “expectativa positiva” das autoridades no arranque da primeira fase.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.