Trump faz nova proposta sobre imigração para acabar com 'shutdown' do Governo

Trump faz nova proposta sobre imigração para acabar com 'shutdown' do Governo

 

Lusa/Ao online   Internacional   19 de Jan de 2019, 21:29

O Presidente dos Estados Unidos ofereceu este sábado proteção temporária para imigrantes ilegais que entraram no país quando crianças, numa tentativa de acabar com o 'shutdown' do Governo e conseguir financiamento para construir um muro na fronteira com o México.

Numa tentativa de desbloquear o ‘shutdown’ (encerramento dos serviços do governo federal) que já dura há cerca de um mês, Donald Trump propôs alargar a proteção aos jovens imigrantes ilegais que entraram no país quando crianças, em troca de 5,7 mil milhões de dólares para construir o muro, mas os democratas rejeitaram a proposta.

Em declarações na Casa Branca, em Washington, Donald Trump disse que estava a oferecer um "compromisso de senso comum que ambas as partes deveriam adotar".

Antes das declarações de Trump, já a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, tinha dito que a proposta para terminar a paralisação parcial de 29 dias do Governo era "uma compilação de várias iniciativas anteriormente rejeitadas, cada uma das quais inaceitável".

A democrata da Califórnia considerou que a oferta de Trump não era "um esforço de boa fé" para ajudar os imigrantes e não poderia passar na Câmara.

Trump adiantou que iria alargar a proteção para jovens levados para o país ilegalmente quando crianças, bem como para aqueles com estatuto de proteção temporária que fugiram de países afetados por desastres naturais ou violência.

Os democratas criticaram a proposta defendendo que esta não é uma solução permanente para os imigrantes e porque inclui dinheiro para o muro ao longo da fronteira entre os EUA e o México, a que o partido se opõe fortemente.

Os democratas também querem que Trump reabra o governo antes que as negociações possam começar.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.