Açoriano Oriental
Open da Austrália
Thiem bate Nadal e estreia-se nas meias-finais com Zverev

O tenista austríaco Dominic Thiem bateu Rafael Nadal, número um mundial, nos quartos de final do Open da Austrália, para marcar encontro com o alemão Alexander Zverev, estreante numas meias-finais de um torneio do ‘Grand Slam’.


Foto: EPA/MICHAEL DODGE
Autor: Lusa/AO Online

Num duelo muito equilibrado e longo, resolvido em quatro ‘sets', o quinto colocado do ‘ranking' ATP superou o esquerdino do Manacor, por 7-6 (7-3), 7-6 (7-4), 4-6 e 7-6 (8-6), ao cabo de quatro horas e 10 minutos.

Depois de vencer as duas primeiras partidas no ‘tiebreak', Dominic Thiem deixou-se quebrar na terceira, quando estava a servir com 5-4, e só conseguiu derrotar Nadal no terceiro ‘match point' do quarto ‘set'.

“Tive sorte nos momentos críticos, a rede esteve do meu lado. Mas, o Rafa é um dos melhores jogadores do mundial e é preciso sempre sorte para o bater”, disse Thiem, em alusão a vários pontos importantes que conquistou com a ajuda da ‘tela’.

Graças à vitória ante o espanhol, que procurava o 20.º título do ‘Grand Slam’ em Melbourne Park, onde ganhou uma única vez, em 2009, Dominic Thiem garantiu a passagem inédita às meias-finais do ‘major' dos Antípodas e um confronto com Alexander Zverev.

Será a estreia do germânico e número sete mundial no ‘top 4’ de um torneio do ‘Grand Slam’, após a vitória diante Stan Wawrinka, campeão do Open da Austrália em 2014, também em quatro ‘sets', pelos parciais de 1-6, 6-3, 6-4 e 6-2.

Mesmo tendo cedido a primeira partida de forma categórica, Zverev, de 22 anos, conseguiu dar a volta ao encontro e superar o 15.º classificado do ‘ranking' ATP, repetindo o que sucedera nos dois anteriores confrontos diretos.

"Depois do primeiro ‘set', comecei a preparar-me para explicar aos jornalistas como tinha perdido em três ‘sets' diretos. Mas dei a volta e a minha energia subiu um pouco. Não estava habituado à bola dele e precisava de um ‘set' para me habituar. Graças a Deus, funcionou", explicou o alemão, de 22 anos, que só cedeu uma partida até atingir as ‘meias’ do Open da Austrália.

Consumado o triunfo ante Stan Wawrinka, de 34 anos, Alexander Zverev, que detém 11 títulos ATP, mostrou-se muito contente por ter atingido uma nova etapa nos torneios do Grand Slam.

"É maravilhoso. Tenho jogado bem nos outros torneios, mas nunca consegui quebrar essa barreira no ‘Grand Slam’. Estou feliz por estar nas meias-finais. Não conseguem imaginar o que significa para mim e espero que sejam as primeiras de muitas", admitiu Zverev, que está a doar 10 mil dólares australianos por cada triunfo em Melbourne - e o ‘prize-money' total caso conquiste o título - às vítimas dos incêndios que assolaram a Austrália.

Na prova feminina, a romena Simona Halep apenas precisou de 53 minutos para afastar Anett Kontaveit, da Estónia, em duas partidas, por duplo 6-1, e qualificar-se para as meias-finais do Open da Austrália pela segunda vez, desde 2018, ano em que foi vice-campeã.

"A perfeição não existe, mas estou bastante feliz pela forma como joguei. Senti-me ótima em ‘court'. Mexi-me e senti a bola muito bem. Foi um ótimo encontro", defendeu Halep.

Detentora de dois títulos do ‘Grand Slam’ - Roland Garros de 2018 e Wimbledon de 2019 -, a número três mundial vai agora defrontar a espanhola Garbiñe Muguruza, que ultrapassou a russa Anastasia Pavlyuchenkova, por 7-5 e 6-3, para se estrear nas meias-finais do ‘major' australiano.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.