Tempestade de gelo lança o caos no Sul do Canadá

Tempestade de gelo lança o caos no Sul do Canadá

 

Lusa/AO Online   Internacional   23 de Dez de 2013, 10:36

Cerca de 300 mil pessoas estão sem eletricidade na Grande Área de Toronto (GTA, sigla em inglês) devido a uma tempestade de gelo que está a afetar o sul do Canadá, provocando o caos na região.

Segundo confirmou hoje a Hydro One, empresa responsável pela eletricidade em Toronto, existem cerca de 300 mil pessoas afetadas pela falta de energia no corredor da autoestrada 401 (entre Etobicoke a Scarborough) e esta deve demorar, pelo menos, "72 horas" a ser restabelecida, possivelmente até ao dia de Natal.

Também no Quebeque, a Hydro local confirmou que 45 mil clientes estão sem energia, 1.500 em Montreal.

Mais de meia centena de voos foram cancelados nos aeroportos entre Toronto e St. Johns, os elétricos foram suspensos e algumas linhas do metro estavam inoperacionais devido à tempestade de chuva congelada que tem afetado a região, com 20 a 30 milímetros. O mau tempo impediu ainda que muitos veículos pudessem ser retirados das garagens, registando-se ainda algumas ocorrências causadas pelo gelo nas estradas, não só no Ontário, mas um pouco pela região sul do país.

Muitos dos residentes aproveitaram para registar este momento através de fotografias, que colocaram nas redes sociais, com árvores caídas, cabos de eletricidade em curto de circuito, e até fotografias de pessoas que se aventuraram a praticar patinagem com patins de gelo nas estradas congeladas.

O primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, através do sua página do Facebook, mostrou-se solidário para com as pessoas afetadas enviando-lhes uma mensagem: "Os meus pensamentos estão com aqueles que estão sem energia devido à tempestade de gelo e que fiquem seguros", referiu.

Também a primeira-ministra do Ontário, Kathleen Wynne, que hoje se reuniu com o vice-presidente da Câmara de Toronto, e com responsáveis de outras cidades da província "prometeu toda ajuda possível" por parte do Governo.

"A província irá utilizar todos os recursos possíveis para que tudo volte ao normal o mais rápido possível", disse.

O presidente da Câmara de Toronto, Rob Ford, disse em conferência de imprensa, que não se considerou "uma situação de emergência", um facto "que pode ser alterado nas próximas 24 horas", considerou.

O presidente da câmara reconheceu ainda que esta é uma das maiores "tempestades na história da cidade".

António Santos, um empresário de restauração, de 50 anos, "não tem eletricidade há mais de 24 horas", facto que também lhe impede de extrair a água de um furo que lhe abastece a habitação em Caledon (próximo de Brampton). O luso-canadiano recorda que em 1998 também se registou uma tempestade desta natureza e na altura esteve impedido de retirar o carro da garagem "durante três semanas".

Também Fernanda Pires, de 52 anos, residente em York (Toronto) está a sentir muitas dificuldades. "Não tenho eletricidade desde as duas ou três horas da madrugada passada, o que faz que não tenha água quente, o aquecimento não funciona, tenho que ir passar a noite a casa da minha mãe", lamentou.

A assistente administrativa também recordou a tempestade de 1998, considerando que não foi "tão severa". Devido à chuva congelada, disse que teve cerca de "duas horas" a conseguir pôr o carro em funcionamento.

Existem cerca de 550 mil portugueses ou lusodescendentes no Canadá, residindo a grande maioria no Ontário.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.