Eleições EUA

Sondagens favorecem Obama

Sondagens favorecem Obama

 

Lusa/AO online   Internacional   17 de Out de 2012, 09:39

Com as primeiras sondagens de espectadores do debate entre Barack Obama e Mitt Romney a favorecerem o democrata, muitos republicanos queixavam-se após o frente-a-frente da moderadora Candy Crowley.

Depois de uma prestação dececionante no primeiro debate com Mitt Romney, que o próprio Barack Obama reconheceu ter sido "demasiado polida", o democrata apareceu hoje na Universidade de Hofstra com uma postura mais agressiva, com ataques contínuos durante uma hora e meia.

A atitude parecia ter colhido dividendos no final, com 46 por cento dos espetadores a darem-lhe a vitória numa sondagem feita pela CNN, contra 39 por cento de Mitt Romney.

No mesmo inquérito, 73 por cento responderam que o presidente esteve melhor do que no primeiro debate, em Denver, que teve perto de 70 milhões de espetadores.

Na sondagem feita pela CBS, também Obama é considerado vencedor pela maior fatia dos espetadores, 37 por cento, contra 30 por cento que responderam Romney e 33 por cento que consideraram o debate um empate.

As margens de resposta favoráveis a Romney no primeiro debate foram largamente maiores, contudo.

A três semanas das eleições de 06 de novembro, Obama e Romney chegaram ao penúltimo debate empatados nas sondagens, depois de, com o frente-a-frente de Denver, o candidato republicano ter ganho terreno ao presidente norte-americano.

Obama chegou ao debate de Denver com uma vantagem de quatro pontos nas sondagens, segundo a média das principais sondagens elaborada pelo site Real Clear Politics, desta vez ambos estão empatados com 47,3 por cento.

No debate da universidade de Hofstra, moderado pela jornalista Candy Crowley, os dois candidatos foram questionados por eleitores independentes, levantando-se para responder e podendo dirigir-se diretamente ao público.

No final do debate, Obama tinha falado mais quatro minutos do que Romney, levando muitos republicanos a criticar a moderadora da CNN, através das redes sociais.

"Crowley decidiu que o presidente precisava de 10 por cento mais de tempo" do que Romney, criticou o estratega republicano Karl Rove.

No primeiro e único debate vice-presidencial nos Estados Unidos, na quinta feira da semana passada, o democrata Joe Biden e o republicano Paul Ryan mostraram ambos um estilo combativo, e no final as opiniões dividiam-se sobre quem esteve melhor.

O terceiro e último debate presidencial terá lugar em Boca Raton (Florida) no dia 22 de outubro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.