Açoriano Oriental
Rúben Rodrigues espera “poucas surpresas” no Faial

O campeão regional em título traçou como objetivo para o Rali Ilha Azul a conquista do máximo de pontos possível, atendendo ao conhecimento prévio do circuito

Rúben Rodrigues espera “poucas surpresas” no Faial

Autor: Mariana Lucas Furtado/Arthur Melo

A Praia do Almoxarife, na cidade da Horta, vai servir de palco para o arranque, esta tarde, do Rali Ilha Azul – Cidade Mar, segunda prova do Campeonato dos Açores de Ralis (CAR). O campeão dos Açores em título e líder do campeonato regional, Rúben Rodrigues, parte como principal candidato à vitória na prova organizada pelo Clube Automóvel do Faial, e que conta com 22 equipas inscritas.

Em declarações à Rádio Açores TSF e ao jornal Açoriano Oriental, o piloto micaelense afirmou que o objetivo desta participação é “somar o maior número de pontos possível”, assinalando que não espera “muitas surpresas”, atendendo ao facto de o figurino da prova ser praticamente o mesmo dos últimos anos.

“As nossas expectativas e objetivos para esta segunda prova do regional são realmente fazer o máximo de pontos possível para a nossa equipa e, tendo em conta o conhecimento que já temos do carro, tentar fazer a melhor prova que conseguirmos”, avançou o piloto da Auto Açoreana Racing. 

“Houve uma pequena alteração num dos troços, mas a prova mantém-se com o mesmo figurino e, para nós, já não é nenhuma surpresa, pelo facto de passarmos pelas mesmas especiais”, analisou ainda o campeão em título.

Nove provas especiais de classificação é o que os concorrentes vão ter de enfrentar nos dias de hoje e amanhã, num total de pouco mais de 79 quilómetros corridos contra o cronómetro. A superespecial com dois mil e quinhentos metros de extensão, Praia do Almoxarife, dá início ao Rali Ilha Azul – Cidade Mar, sendo que o primeiro concorrente vai para a estrada a partir das 19h30 desta tarde.

Na entrevista concedida à Rádio Açores TSF e ao Açoriano Oriental, Rúben Rodrigues abordou ainda a questão do adiamento do Além Mar Rali, em São Miguel, que encara como um revés na competitividade do CAR.

“Apesar de terem anunciado os motivos do adiamento, não torna mais fácil para nós, pilotos, montar um projeto e estar a participar em todas as provas”, esclareceu. “Agora não sabemos até que ponto teremos a disponibilidade da nossa equipa de assistência. Bom não é, porque é menos uma prova no campeonato”, prosseguiu. “Sendo a nossa equipa de São Miguel, é muito triste ser o único sítio onde não realizamos corridas”, sentenciou o piloto.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados