Automobilismo

Rallye Lagoa consagra Ricardo Moura campeão dos Açores de ralis

Rallye Lagoa consagra Ricardo Moura campeão dos Açores de ralis

 

Arthur Melo   Motores   4 de Out de 2008, 23:31

Ricardo Moura - Sancho Eiró, em Mitsubishi Lancer EVO IX, venceram oRallye Lagoa e sagraram-se campeões dos Açores de Ralis

A dupla micaelense terminou com 17 segundos de vantagem sobre Fernando Peres - José Pedro Silva, em Mitsubishi Lancer EVO IX, grandes derrotados na prova lagoense e no Campeonato dos Açores de Ralis.

O piloto portuense começou forte - e bem - o rali organizado pelo Grupo Desportivo Comercial, sendo o mais rápido nos três troços matinais da primeira secção, conseguindo uma vantagem de 7,7 segundos para Moura.

Todavia, Peres lamentou que "a parte nova da Marques, na zona da Mata, está cheia de pedras. A função dos carros 0 e 00 é de tirar as pedras do troço e não limpar as barreiras e meter pedras dentro do troço", afirmou em declarações à Antena 1 após o troço onde furou também por duas vezes.

Na primeira passagem por Marques também Ricardo Moura furou por duas ocasiões, referindo também "apanhei algumas pedras mas nada de anormal".

Com a vantagem que detinha, todos já esperavam o triunfo de Peres que, apesar da vantagem, ainda não dava por adquirida a vitória.

Se a primeira secção correu sob o signo de Peres, a segundas passagens mostraram uma estória completamente diferente.

Sem nada a perder, Moura atacou na segunda passagem por Remédios/Água de Pau e, na Marques (o troço que decidiu o rali) assumiu a liderança com uma confortável vantagem de 31,7 segundos.

Um furo fez com que Fernando Peres se atrasasse irremediavelmente e nem mesmo o facto de ter sido o mais rápido na última especial foi suficiente para evitar os festejos de Ricardo Moura.

Na altura certa e momentos exactos, o piloto micaelense soube amealhar os segundos que lhe permitiram gerir nos últimos 18,20 quilómetros da prova uma liderança suada onde, como o próprio confessa, apenas no troço inaugural do rali as coisas não lhe correram de feição, em parte devido ao pó que apanhou na estrada.

Na Fórmula 3, Sérgio Silva foi o vencedor, numa prova em que "lutou" com o novo Peugeot 206 GTI, procurando manter na estrada um carro que não lhe obedecia. O título, este, já estava na posse de Carlos Costa, que se atrasou na... Marques 1, depois de uma saída na sequência de um furo.

Na Fórmula 2, Abel Carreiro conquistou uma vitória que há muito perseguia mas o título foi revalidado pelo terceirense Olavo Esteves.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.