Açoriano Oriental
PS rejeita aumentar 1,5 pontos os técnicos de diagnóstico e terapêutica

A bancada do PS na Assembleia Legislativa dos Açores chumbou uma proposta do CDS-PP, que defendia a aplicação de 1,5 pontos por cada ano de serviço congelado aos técnicos de diagnóstico e terapêutica.

PS rejeita aumentar 1,5 pontos os técnicos de diagnóstico e terapêutica

Autor: Lusa/AO Online

José San-Bento, deputado socialista, justificou o voto contra do seu partido, com o facto de ainda estar a decorrer "um processo negocial" entre a tutela e os sindicatos representativos daquela classe profissional, considerando que não faria sentido, nesta fase, impor uma solução para o processo de descongelamento das carreiras.

A secretária regional da Saúde, Teresa Luciano, garantiu também em plenário que o executivo socialista vai continuar a negociar com os sindicatos, mas adiantou que, para já, a tutela só vai pagar um ponto por cada ano de serviço congelado na carreira dos técnicos de diagnóstico e terapêutica.

"Os nossos técnicos de diagnóstico e terapêutica não vão ficar prejudicados porque não receberam as suas valorizações remuneratórias, portanto, este mês de setembro, essas remunerações serão pagas com um ponto, independentemente de a nível nacional ser atribuído 1,5 pontos", insistiu a governante.

Artur Lima, líder parlamentar do CDS-PP, lamentou o chumbo da maioria socialista à sua proposta, lembrando que o PS podia ter votado a favor, porque a resolução em causa não obrigava a aplicar, de imediato, os 1,5 pontos que o seu partido defendia.

"A maioria absoluta, neste caso, impôs-se sem razão, votou por má vontade, mas com a força que lhe foi conferida pelos açorianos", afirmou o líder centrista, adiantando que se os açorianos quiserem políticas diferentes, terão de dar o seu voto a partidos diferentes nas eleições legislativas regionais marcadas para 25 de outubro.

O parlamento açoriano acabou por aprovar, por unanimidade, outra proposta, do PSD, que defendia que fossem retomadas as negociações entre o sindicato dos técnicos de diagnóstico e terapêutica e a Secretaria Regional da Saúde, com vista a encontrar uma solução consensual para o descongelamento das carreiras.

No final do debate, Mónica Seidi, deputada social-democrata, manifestou a satisfação pela aprovação da sua proposta, com a esperança de que ambas as partes possam chegar brevemente a um consenso sobre esta matéria.

O Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica tem marcada uma greve para esta quarta-feira e quinta-feira e uma manifestação para o primeiro dia da paragem em frente à sede do parlamento, na Horta, por entender que os técnicos dos Açores estão a ser prejudicados no descongelamento das carreiras, em comparação com os colegas do restantes território nacional.

O plenário do parlamento dos Açores está esta semana reunido na última sessão marcada para antes das eleições na região, que decorrerão a 25 de outubro.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.