Protesto contra aumentos salariais de 2,9%


 

Lusa/AOonline   Nacional   21 de Nov de 2008, 13:46

Milhares de funcionários públicos iniciaram já a marcha entre o Marquês de Pombal e a Assembleia da República contra os aumentos salariais de 2,9 por cento propostos pelo Governo.
"Os trabalhadores da Função Pública recusam-se que o Governo invoque mais uma crise para nos penalizar", afirmou aos jornalistas Ana Avoila, coordenadora da Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, afecta à CGTP, que fala numa adesão de 50 mil pessoas nesta manifestação.

    "Estamos aqui para demonstrar que não nos vergamos e vamos continuar a lutar porque queremos ver reposto tudo aquilo a que temos direito", salientou Ana Avoila, que defende que "o Governo deveria ter disponibilidade para fazer com os trabalhadores o que está a fazer com a banca".

    "Para os grandes há sempre dinheiro, para os trabalhadores não há nada", acrescentou.

    A Frente Comum pretende um aumento salarial na ordem dos 3,5 por cento contra a proposta governamental de 2,9 por cento, tendo por base uma previsão da inflação de 2,5 por cento.

    As negociações salariais começaram a 6 de Novembro e deveriam ter terminado quarta-feira, mas as contra propostas apresentadas pelos sindicatos permitiram manter as negociações em aberto.

    "O Governo pode impor, mas os trabalhadores não vão esquecer, especialmente, que para o ano há eleições", afirmou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.