Açoriano Oriental
Presidente do Santa Clara diz que Açores “têm de apanhar o comboio do futebol profissional”

O presidente do Santa Clara, Rui Cordeiro, disse, em entrevista à agência Lusa, que os Açores têm de "apanhar o comboio do futebol profissional", o que implica a melhoria das infraestruturas e a qualificação dos recursos humanos.

Presidente do Santa Clara diz que Açores “têm de apanhar o comboio do futebol profissional”

Autor: Rui Pedro Paiva/Lusa/AO Online

"Os Açores têm de apanhar o comboio do futebol profissional e isso passa por melhores infraestruturas, qualificação dos recursos humanos, criar emprego ligado ao desporto, dar acompanhamento psicopedagógico aos atletas da formação açoriana", declarou o presidente da equipa açoriana à Lusa.

Em cinco presenças no principal escalão do futebol português, o Santa Clara atingiu a melhor classificação da sua história na temporada de 2019/2020, alcançando o nono lugar com 43 pontos.

Os açorianos irão participar pela terceira vez consecutiva na I Liga na próxima temporada, um feito inédito na história do clube.

Rui Cordeiro disse que o relvado e as infraestruturas da Cidade do Futebol (onde a equipa jogou na condição de visitado as últimas 10 jornadas da Liga devido à covid-19) foram "importantes" para os bons resultados (duas vitórias, dois empates e uma derrota) da equipa na retoma do campeonato.

"Nós não pedimos que se replique o que fizeram na Cidade do Futebol aqui nos Açores, pedimos sim que se comecem a criar condições para que possamos ter um desenvolvimento do jovem atleta açoriano", afirmou Rui Cordeiro.

O presidente do Santa Clara (que treina e joga em infraestruturas que são propriedade do Governo Regional) prosseguiu, defendendo que os Açores deveriam melhorar ao nível do futebol profissional.

"Para que possamos lutar de igual para igual, é fundamental que possamos ter melhorias no que diz respeito às nossas infraestruturas para podermos dar mais alegrias a todos os açorianos", afirmou Rui Cordeiro.

O líder do emblema açoriano destacou que a temporada 2019/2020 serviu para demonstrar que o Santa Clara "é hoje, sem qualquer margem para dúvidas", um clube que "figura entre os nove melhores clubes do futebol nacional".

Para Rui Cordeiro, o "segredo do sucesso" da temporada são "as pessoas", que dentro do clube são uma "família".

"Desde o presidente, passando pelos atletas e até ao técnico de equipamentos, damo-nos todos bem e estamos aqui todos para o mesmo. Interiorizamos bastante bem qual é o papel e a missão de cada um. Quando assim é, ficamos mais perto de alcançar o sucesso", disse.

Questionado sobre os momentos mais marcantes da temporada, o dirigente escolheu a vitória por 4-3 no estádio da Luz frente ao Benfica, que considerou um "momento histórico" e "um passo importante na afirmação da identidade própria e vincada" que o clube pretende "construir".

Rui Cordeiro também elegeu como um dos momentos mais marcantes o dia em que o Santa Clara atingiu matematicamente a manutenção, a três jornadas do fim, fruto da derrota do Portimonense com o Rio Ave: "foi o cumprir de mais um sonho".

Após o último encontro do campeonato, diante do Vitória de Guimarães, foi anunciado que João Henriques abandonaria o comando técnico da equipa, depois de duas temporadas nos Açores.

Segundo o presidente, quer o clube quer o treinador, "perceberam" que nesta época se encerrava um ciclo de "muitos sucessos, muitas alegrias" e "muitos recordes".

"Valorizámos ativos, valorizámos e enriquecemos a história do clube, cumprimos com os objetivos traçados. Por tudo isto, entendemos, SAD e treinador, que seria a altura perfeita para o mister João Henriques abraçar um projeto mais exigente do que o do Santa Clara", apontou.

Na I Liga, em 2019/20, o Santa Clara somou 11 vitórias, as mesmas da época passada, 10 empates e 13 derrotas, tendo marcado 36 golos e sofrido 41, o seu melhor registo defensivo de sempre.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.