Partidos

Paulo Portas antecipa directas para Dezembro

Paulo Portas antecipa directas para Dezembro

 

Lusa/AOonline   Nacional   24 de Out de 2008, 17:51

O presidente do CDS-PP, Paulo Portas, anunciou que antecipou as eleições directas para Dezembro, às quais se recandidata, para "arrumar a casa" e “renovar quadros” antes do próximo ano eleitoral.
"Em política, a antecipação pode ser uma vantagem. O meu mandato terminaria em Abril de 2008, já muito em cima das eleições europeias. Vamos por isso arrumar a casa, tornar o nosso funcionamento mais eficaz e renovar os nossos quadros", afirmou Paulo Portas, em conferência de imprensa.

    De acordo com o calendário eleitoral proposto pela direcção e que será aprovado em Conselho Nacional no próximo dia 30,

    dia 6 de Dezembro decorre a eleição directa do líder e a eleição dos delegados ao XXIII Congresso electivo e organizativo, marcado para 13 e 14 de Dezembro.

    Para Novembro estava já previsto um congresso organizativo.

    As candidaturas à liderança do CDS-PP terão que ser entregues até dia 7 de Novembro e as moções de orientação estratégica até dia 10 de Novembro.

    Questionado pelos jornalistas, Paulo Portas recusou que os prazos fixados para apresentar candidaturas impeçam, por serem curtos, candidaturas alternativas, afirmando que no anterior congresso os prazos eram idênticos.

    “Depende da vontade de cada um de candidatar-se ou não”, afirmou.

    “Se se consultar os documentos das eleições precedentes verá que os prazos não são mais curtos. Se uma pessoa quer candidatar-se a líder do partido não precisa de espaço, precisa de força e vontade”, acrescentou Paulo Portas.

    Questionado sobre se vai aproveitar o próximo congresso para nomear vice-presidentes do partido, após Telmo Correia e Nobre Guedes se terem afastado, Paulo Portas escusou-se a esclarecer, dizendo que vai seguir o calendário eleitoral que tem que ser aprovado pelo Conselho Nacional.

    Quanto à renovação dos quadros do partido, Portas disse que pretende “ter mais quadros e não apenas aqueles que existem actualmente”, “melhorar em qualidade, em força, ter mais vocação profissional” para ser “um partido mais abrangente”.

    Paulo Portas disse ainda que vai pedir ao presidente do Conselho Nacional para que o seu discurso na reunião de quinta-feira daquele órgão seja público.

    Nesse discurso, Paulo Portas deverá já indicar ao Conselho Nacional as linhas da estratégia que pretende para o programa da recandidatura à liderança do CDS-PP.

    O líder democrata-cristão adiantou que pretende "abrir o partido ao máximo à sociedade" e que o congresso será "inovador e patriótico".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.