Passagem do furacão Lorenzo vitimou cerca de 700 cagarros

Passagem do furacão Lorenzo vitimou cerca de 700 cagarros

 

Ana Carvalho Melo   Regional   11 de Out de 2019, 17:35

O diretor regional dos Assuntos do Mar revelou que a passagem do furacão Lorenzo pelos Açores vitimou cerca de 700 de cagarros nas ilhas do Pico e do Faial.

Segundo Filipe Porteiro, este elevado número de aves mortas encontradas durante as limpezas da orla costeira nas ilhas do Pico e do Faial levam a campanha SOS Cagarro deste ano vá ser “diferente das anteriores”.

O diretor regional, que falava quinta-feira na sessão de abertura do SOS Cagarro 2019, salientou a importância das brigadas científicas, coordenadas pelo Observatório do Mar dos Açores, para um melhor conhecimento desta espécie, bem como do projeto LuMinAves, do qual a Direção Regional dos Assuntos do Mar é entidade parceira beneficiária.

Durante a sessão, que contou com uma apresentação pela investigadora Elizabeth Atchoi sobre o LuMinAves, Filipe Porteiro referiu que, através deste projeto, é possível “conhecer melhor o fenómeno da poluição luminosa e diminuir os seus impactos” nestas aves.

No âmbito do SOS Cagarro, os cagarros juvenis encontrados sem vida e em bom estado são preservados para serem utilizados em vários estudos, com destaque para estudos sobre o impacto do lixo marinho nestas aves, como o projeto LIXAZ.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.