Parlamento dos Açores quer reunir com ministro Poiares Maduro por causa da RTP

Parlamento dos Açores quer reunir com ministro Poiares Maduro por causa da RTP

 

Lusa/AO Online   Regional   18 de Out de 2013, 21:04

A Assembleia Legislativa dos Açores vai solicitar ao ministro que tutela a Comunicação Social, Poiares Maduro, uma reunião para clarificar o futuro do serviço público de rádio e televisão na região.

A proposta foi apresentada pela deputada Zuraida Soares, do Bloco de Esquerda, que se queixa da falta de informação sobre as negociações que estão a decorrer entre os governos Regional e da República sobre o futuro da RTP/Açores.

"Não podemos continuar nesta indefinição", alertou Zuraida Soares, acrescentando que os deputados não podem ficar de braços cruzados perante "o risco do fim do serviço público de rádio e televisão nos Açores".

José Andrade, da bancada do PSD, lamentou que o Governo dos Açores continue a esconder da Assembleia Legislativa Regional, qual o ponto das negociações que estão a decorrer entre executivo açoriano e o da República.

Já Pedro Moura, deputado socialista, considerou "preocupantes" as recentes declarações de Poiares Maduro, por anteverem novos cortes na RTP/Açores, e atribui as "culpas" pelo "desmantelamento" da rádio e televisão públicas ao Governo da República.

Para Aníbal Pires, do PCP, a responsabilidade pelo "declínio da RTP/Açores" é também da atual direção da empresa, que acusou de ser "cúmplice" e uma "mera executora de uma comissão liquidatária".

Paulo Estêvão, do PPM, atribui responsabilidade ao Governo da República pela atual indefinição no futuro da empresa, mas entende que a "passividade" do Governo Regional é que deu origem à "degradação" da RTP/Açores.

Também Artur Lima, do CDS/PP, atribui culpas a Lisboa, lembrando, no entanto, que a responsabilidade nesta área não compete apenas ao executivo de Passos Coelho e Paulo Portas, mas também aos anteriores governos do Partido Socialista.

Os deputados açorianos recordaram que a RTP/Açores debate-se com a falta de meios técnicos e humanos e de instalações adequadas para realizar o serviço público da rádio e televisão.

Durante a tarde, o plenário do Parlamento dos Açores, na Horta, aprovou ainda por unanimidade a resolução do PS “pronúncia por iniciativa própria da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores contra o encerramento de serviços de finanças nos Açores".

Na quinta-feira, todos os deputados tinham já aprovado um voto de protesto, apresentado pelo PSD, contra o eventual encerramento de 13 dos 19 serviços de finanças no arquipélago que, a concretizar-se, deixará várias ilhas sem este tipo de serviço.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.