Prémio Nobel da Física

Nobel da Física distingue trabalhos sobre partículas


 

Lusa/AOonline   Internacional   7 de Out de 2008, 11:45

O Comité Nobel da Academia Real Sueca atribuiu o prémio Nobel da Física a dois japoneses e a um norte-americano por trabalhos separados sobre física de partículas.
Metade do prémio vai para os japoneses Makoto Kobayashi e Toshihide Maskawa "pela descoberta da origem da quebra de simetria que supõe a existência de pelos menos três famílias de quarks na natureza", segundo o Comité Nobel.

    O norte-americano Yoichiro Nambu, da Universidade de Chicago, que ficará com a outra metade do prémio, foi distinguido pela descoberta de um mecanismo chamado quebra espontânea de simetria em física subatómica.

    Este trabalho inscreve-se no "modelo Standard", uma teoria que tenta descrever as partículas elementares que estiveram na origem da formação do universo durante o Big Bang, há 14 mil milhões de anos.

    Durante a formação do universo, a matéria existia sob a forma de uma espécie de sopa densa e quente chamada Plasma de Quarks e Gluões. Ao arrefecer, partículas chamadas quarks aglutinaram-se em protões e neutrões e outras partículas compósitas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.