Líder regional do CDS-PP defende mais meios para delegações da RTP/Açores

Líder regional do CDS-PP defende mais meios para delegações da RTP/Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Out de 2013, 17:14

O líder do CDS-PP/Açores, Artur Lima, defendeu hoje que as delegações da RTP/Açores necessitam de mais meios técnicos e humanos para que a rádio e a televisão públicas possam fazer a cobertura de todo o arquipélago.

"É preciso que a RTP, para ser Açores, tenha os mesmos recursos nas três delegações", salientou, em declarações aos jornalistas, no final de uma visita à delegação da RTP/Açores em Angra do Heroísmo.

Artur Lima disse que esta foi a primeira de um conjunto de visitas que pretende fazer pelas várias delegações da RTP nos Açores, no sentido de sensibilizar a administração da empresa para as necessidades encontradas.

O líder regional centrista salientou, no entanto, que dará também conhecimento dessas mesmas necessidades ao CDS-PP a nível nacional, numa altura em que se prepara o novo modelo de audiovisual.

"Muitas das coisas que aqui se passam não são do conhecimento nem sequer da administração em Lisboa", frisou, acrescentando que é preciso chamar à atenção para "a realidade arquipelágica dos Açores, que é diferente da da Madeira".

Artur Lima adiantou ainda que foi reenviado ao CDS-PP nacional o estudo do conceito de serviço público de audiovisual nos Açores, realizado por uma comissão de peritos, nomeada pelo parlamento açoriano.

Segundo o líder regional centrista, na delegação da ilha Terceira, por exemplo, as carências de recursos técnicos e humanos são "notórias", o material de informática é "obsoleto", falta uma sala de edição, uma mesa de mistura, um estúdio "em condições" e um técnico de eletrónica.

"Estes investimentos são absolutamente cruciais e fundamentais para se garantir a unidade açoriana, a coesão territorial, a coesão cultural e a identidade dos açorianos", frisou.

O presidente do CDS-PP nos Açores defendeu ainda a necessidade de "autonomia editorial" nas três delegações, alegando que a centralidade da decisão editorial vai "contra a realidade arquipelágica".

Artur Lima reivindicou ainda capacidade para se realizarem diretos na ilha Terceira e considerou "fundamental" que existam "jornalistas com condições éticas e deontológicas para o exercício da sua profissão nas ilhas sem delegação".

Para o líder regional centrista, a administração da RTP/Açores não pode "atirar as culpas" para os políticos e para a República, justificando-se sempre com a falta de instalações.

"Algumas decisões são de gestão interna da casa", criticou, acrescentando que há três anos "estavam orçamentados mais de 200 mil euros para a mudança de instalações" para uma antiga escola cedida pela Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, mas "até hoje esse investimento não se realizou".

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.