Justiça

Julgamento de António Preto suspenso até 10 de Novembro


 

Lusa / AO Online   Nacional   27 de Out de 2009, 10:46

O julgamento do deputado do PSD António Preto foi esta terça-feira suspenso até 10 de Novembro para se apurar a situação de outros processos pendentes em tribunais administrativos e fiscais e que podem ter implicações neste caso.
A suspensão do julgamento foi decidida pelo colectivo de juízes, presidido por José Reis, após um requerimento da defesa dos outros dois arguidos no chamado "caso da mala", os empresários da construção civil Virgílio Sobral de Sousa e Jorge Silvério, que invocaram que ainda estão pendentes uma impugnação tributária no Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) de Sintra e uma oposição a uma execução que corre termos no TAF do Funchal.

António Preto, deputado social-democrata cujo mandato está suspenso, compareceu à primeira sessão de julgamento, juntamente com os outros dois arguidos, tendo estes últimos manifestado, desde logo, a intenção de se remeterem ao silêncio.

Carlos Pinto de Abreu, advogado de António Preto, referiu que o seu cliente "aguarda um pedido de quebra se sigilo profissional para se pronunciar sobre matéria relacionada com a prestação de serviços de advocacia".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.