Governo dos Açores atribuiu 6,6ME a empresa para concluir compra de campos de golfe

Governo dos Açores atribuiu 6,6ME a empresa para concluir compra de campos de golfe

 

Lusa/AO Online   Outras modalidades   24 de Jan de 2019, 12:44

O Governo dos Açores concedeu, esta quinta-feira, à sociedade anónima Ilhas de Valor um aval de 6,6 milhões de euros para “assegurar” a manutenção dos dois campos de golfe da ilha de São Miguel e “concluir” a sua aquisição.

A medida foi anunciada, esta quinta-feira, pelo secretário regional adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares, Berto Messias, que declarou que se pretende também salvaguardar os postos de trabalho daquelas duas unidades adquiridas ”num contexto de insolvência” da empresa de capitais privados.

Berto Messias, que apresentava nas Velas de São Jorge, no final de uma deslocação de três dias do executivo açoriano à ilha, o comunicado do Conselho do Governo realizado na noite de quarta-feira, disse que a verba agora atribuída permite a realização desta operação financeira “por um valor substancialmente mais baixo do que o valor da sua avaliação”.

Em agosto de 2017, a Verdegolf, proprietária dos dois campos de São Miguel da Batalha e das Furnas, foi declarada insolvente.

O Governo Regional pretende “voltar a alienar este património agora adquirido”, mas questionado pelos jornalistas, o governante não adiantou o ‘timing’ para a realização desta operação, nem se existem potenciais interessados.

Em julho de 2018, a empresa Ilhas de Valor apresentou uma proposta de aquisição dos dois campos de golfe em São Miguel pelo valor de 7,4 milhões de euros, o que se deveria ter concretizado em 2018.

Na altura, a presidente da Ilhas de Valor, Lubélia Chaves, em declarações aos jornalistas, referiu que existem credores com valores de crédito “muito superiores a este, por isso é que o processo foi longo, porque os outros credores também tiveram que assumir uma redução dos valores que poderão vir a receber com este negócio”.

A responsável falava após uma audição na comissão eventual de inquérito ao setor público empresarial regional e associações sem fins lucrativos, que decorreu em Ponta Delgada.

O plenário dos membros do Governo Regional decidiu ainda “assegurar as condições necessárias de poupança de encargos financeiros, através da substituição de um aval ao Instituto Regional de Ordenamento Agrário (IROA), no valor de quatro milhões de euros".

Para o executivo, esta operação financeira “permite redução de encargos, garantindo condições mais vantajosas de financiamento, potenciando, assim, o desenvolvimento da atividade deste instituto através de investimentos que promovem o desenvolvimento sustentado das zonas rurais”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.