Política

Governo do Kuwait apresenta demissão devido a desacordo com Parlamento


 

Lusa/AOonline   Internacional   25 de Nov de 2008, 11:03

O governo kuwaitiano apresentou a demissão ao emir depois de não ter concordado com o Parlamento em relação à visita controversa de um religioso iraniano àquela monarquia do Golfo, anunciou o deputado Nasser al-Sane.
“O governo kuwaitiano apresentou a demissão ao emir (xeque Sabah al-Ahmad Al-Sabah) há momentos”, declarou Al-Sane.

    Os membros do governo, que também são deputados, retiraram-se de manhã de uma sessão do Parlamento para protestar contra a inscrição na ordem do dia de um pedido de audição do primeiro-ministro, xeque Nasser al-Ahmad Al-Sabah, sobre a estada no país de um religioso xiita iraniano, proibido de entrar no Kuwait.

    Ainda não foi feito qualquer anúncio oficial sobre a demissão do governo.

    Depois da retirada da sessão do Parlamento, os membros do governo tiveram uma “reunião de crise”, referiram fontes parlamentares.

    De acordo com a Constituição, se o emir aceitar a demissão do governo, pode decidir a formação de um novo executivo ou dissolver o Parlamento e convocar eleições legislativas antecipadas.

    Vários deputados afirmaram que esperam que o emir promulgue durante o dia de hoje um decreto de dissolução do Parlamento, mas outros afirmam que esperam uma decisão sobre a suspensão da Constituição e do Parlamento, fazendo com que o emir não seja obrigado a convocar eleições no prazo de 60 dias.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.