Euro forte poderá levar Berlim a rever previsões de crescimento


 

Lusa / AO online   Economia   26 de Nov de 2007, 10:47

As preocupações aumentam na Alemanha face ao euro forte, que poderá levar o governo a rever as suas previsões de crescimento, admite o secretário de Estado da Economia, Walther Otremba, numa entrevista ao diário Handelsblatt.
"Se a cotação do euro se mantiver tão elevada de forma durável, será impossível impedir efeitos negativos sobre as exportações", adverte o secretário de Estado conservador.

"O governo deverá então reexaminar as previsões de crescimento", prossegue. Uma revisão poderá verificar-se logo em Janeiro, precisou.

Berlim aponta para este ano para um crescimento de 2,4 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), após 2,9 por cento em 2006, e espera que a tendência de desaceleração se prolongue em 2008, com o crescimento a cair para 2 por cento.

A Alemanha, que mantivera até agora serenidade face à subida da moeda única em relação ao dólar, começa a preocupar-se seriamente pelas consequências para a sua economia de um euro que chegou sexta-feira passado a aproximar-se dos 1,50 dólares.

A chanceler alemã, Angela Merkel, reconheceu na semana passada que o euro forte constituía um problema para as exportações alemãs, que são o principal motor da primeira economia da zona euro.

Este fim-de-semana, o patrão da EADS, a casa-mãe da Airbus, advertiu que a situação poderá levar a construtora de aviões a deslocalizar uma parte da sua produção para a zona dólar.

É que a subida do euro penaliza particularmente grupos como a Airbus, cujos produtos são pagos em dólares, mas as despesas feitas em euros.

Nas instâncias europeias, tanto na Comissão Europeia como no Banco Central Europeu, a força da moeda única é vista com um sinal de robustez da economia da zona euro, embora as variações bruscas nas taxas de câmbio das principais divisas não sejam do agrado dos responsáveis pela política monetária.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.