Entradas no parque açoriano Terra Nostra duplicaram em 3 anos para 212 mil visitantes

Entradas no parque açoriano Terra Nostra duplicaram em 3 anos para 212 mil visitantes

 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Ago de 2019, 16:52

As entradas no Parque Terra Nostra, nas Furnas, mais que duplicaram de 104.355, em 2015, para 212.048, em 2018, estando previstos vários projetos para 2020, segundo dados fornecidos esta sexta-feira à Lusa pelo grupo económico açoriano Bensaude.

O diretor geral do Hotel Terra Nostra, Simão Markovitch, onde funciona o jardim botânico, adiantou à agência Lusa que vão arrancar no final deste ano obras de reconstrução da zona da bilheteira, que vão “agilizar o processo de compra de entradas”, ficando os visitantes "protegidos da chuva”.

O Parque Terra Nostra, situado no vale das Furnas e procurado pelas suas águas termais e beleza ambiental, contempla uma piscina de água termal quente, a par de uma diversidade de flora, tendo sido criado em 1775, por Thomas Hickling, um comerciante originário de Boston, que foi Consul Honorário dos Estados Unidos em São Miguel.

O jardim possui flora endémica dos Açores, mas também inúmeras plantas nativas de países com climas distintos da região, havendo ainda espécies ali existentes únicas na Europa.

O parque possui uma das maiores coleções do mundo de camélias, tendo mais de 600 géneros diferentes, e também a maior coleção da Europa de Cicas.

Simão Markovitch refere que o projeto contempla também um pequeno espaço de exposições temporárias, enquanto junto ao portão principal será desenvolvida uma zona de receção e largada de passageiros, que “permitirá, de certa forma, aliviar a dificuldade de trânsito que se sente na rua do parque”.

Para o grupo Bensaude, um outro ponto em que “há consciência que não responde de forma adequada a nível do conforto” são os balneários e casas de banho, onde será feita uma “remodelação profunda, de forma a melhorar as instalações e aumentar a capacidade”.

Vão ser instalados cacifos para que os visitantes possam guardar os seus pertences enquanto desfrutam das águas termais e será desenvolvida uma pequena loja para venda de artigos do Parque Terra Nostra, plantas e sementes do jardim botânico e outros artigos que “permitirão transportar o espaço, as Furnas, o concelho da Povoação e os Açores pelo mundo fora”.

"Temos acompanhado, de perto e com muita atenção, o grande crescimento de fluxo de entradas no Parque Terra Nostra. Se por um lado assistimos com grande satisfação ao aumento exponencial do número de visitantes, assim como do enorme reconhecimento de que o parque vai sendo alvo, temos sido obrigados a tomar várias medidas para proteger e minimizar o impacto destes aumentos consideráveis”, declarou o diretor-geral do hotel Terra Nostra.

Simão Markovitch afirmou que a pressão turística obrigou a “reavaliar rapidamente todas as normas de funcionamento” do parque, tendo sido atualizada a sinalética, o que permite aos visitantes chegarem a todos os pontos mais emblemáticos do espaço “com facilidade”.

Foram implementadas várias mesas de interpretação ao longo do percurso principal com mapas e localizações, a par de uma revisão dos horários de abertura ao público, limitando-se o número de horas em que o parque “está sujeito a toda esta pressão”.

Para o responsável, o “aumento considerável da procura tem sido também uma grande oportunidade” para continuar a investir no parque, visando “adequar os equipamentos e condições de trabalho”, bem como para “reformular e reabilitar as estruturas de apoio”, proporcionando uma “experiência ainda melhor e mais confortável a todos os que o visitam”.

O Parque Terra Nostra, para além de ter sido várias vezes premiado, foi considerado um dos mais bonitos do mundo pela revista Condé Nast Traveler, das Condé Nast Publications.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.