Investigação na China

Coca-Cola cria laboratório chinês para produzir bebidas à base de plantas medicinais


 

Lusa/AO   Economia   18 de Out de 2007, 08:16

A gigante norte-americana Coca-Cola vai lançar um centro de investigação de medicina tradicional chinesa para desenvolver novas bebidas à base de ingredientes e fórmulas naturais, refere hoje um comunicado de imprensa da companhia.
"Encaramos este centro como um passo importante para fortalecer a nossa estrutura de inovação para bebidas que contribuem para o bem-estar", disse Rhona Applebaum, vice-presidente e chefe da equipa científica da Coca-Cola, citada no comunicado.

    O centro de investigação, a instalar em Pequim, é apenas parte de uma colaboração antiga da multinacional com a Academia de Ciências Médicas Chinesas.

    A empresa norte-americana disse ainda estar disponível para usar o seu "alcance global e marketing para ajudar a promover a sabedoria chinesa na prevenção de doenças através de bebidas novas e inovadoras".

    Numa outra campanha da multinacional na China, a empresa anunciou em Junho um apoio de 20 milhões de dólares (14,8 milhões de euros) para financiar um projecto de conservação dos sete maiores rios do mundo e tornar o engarrafamento das bebidas uma prática menos poluente.

    De acordo com este programa, a empresa compromete-se a reduzir os 290 mil milhões de litros de água que consome por ano para produzir a Coca-Cola, Fanta, Sprite e as outras bebidas associadas, num país em que pelo menos 500 milhões de pessoas têm acesso a menos água do que a população da Somália.

    Na China, a Coca-Cola produz e vende bebidas gaseificadas, assim como chás e águas.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.