CDS/Açores critica falta de médicos especialistas no Hospital da Ilha Terceira

CDS/Açores critica falta de médicos especialistas no Hospital da Ilha Terceira

 

Lusa/AO online   Regional   31 de Jul de 2019, 18:26

O líder do CDS-PP/Açores considerou "urgente" que o Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira abra vagas para médicos de várias especialidades, alegando que a falta de meios humanos naquela unidade de saúde é "grave".

"É absolutamente urgente abrir vagas de especialidade para o Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira (HSEIT), sobretudo em algumas aéreas como em dermatologia, infetocontagiosas, urologia ou hematologia. A maior parte dos especialistas já têm perto de 60 anos e, dentro de quatro ou cinco anos, irão reformar-se", apontou o líder regional centrista Artur Lima, em comunicado de imprensa.

Segundo Artur Lima, "há muito tempo que o CDS denuncia a falta de recursos humanos no Serviço Regional de Saúde", mas a resposta do executivo açoriano a um requerimento entregue pelos centristas na Assembleia Legislativa da Região, veio comprovar que "o caso é particularmente grave no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira".

O dirigente centrista frisou, por outro lado, que o hospital da ilha Terceira não tem atualmente internos em formação em diversas especialidades e que perdeu idoneidade formativa em algumas áreas, lembrando que "formar um especialista demora quatro a seis anos, após a conclusão do curso".

Nesse sentido, Artur Lima considerou "imperativo" que a nova secretária regional da Saúde (que tomou posse há três semanas) "ponha cobro a esta situação e resolva o problema".

"Se não for feito nada no imediato, o CDS apresentará já em setembro uma iniciativa legislativa nesse sentido, uma vez que a situação tornar-se-á insustentável", salientou, alegando que o HSEIT se pode transformar no futuro num "centro de saúde mais diferenciado, que terá como missão atender os doentes mais agudos e reencaminhá-los para outros hospitais".

O líder centrista disse que a falta de meios humanos no hospital da ilha Terceira se agravou nos últimos tempos, acusando a atual presidente do conselho de administração e ex-presidente da Saudaçor de cometer "uma coleção de erros que evidenciam, a cada dia que passa, uma incompetência de gestão que afeta gravemente os utentes".

"A incompetência na gestão no HSEIT é de tal ordem que, apesar de terem centenas de milhares de euros no orçamento para o combate às listas de espera cirúrgicas, nomeadamente da anca e do joelho, continuam a deixar os nossos doentes sem resposta, perpetuando o seu sofrimento", frisou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.