Liga Portuguesa

Benfica tremeu na Mata Real, mas conquistou os três pontos

Benfica tremeu na Mata Real, mas conquistou os três pontos

 

LUSA/AO   Futebol   22 de Set de 2008, 22:34

O Benfica igualou o tricampeão FC Porto na Liga de futebol, mas a primeira vitória na prova foi conquistada em Paços de Ferreira com grande sofrimento
O Benfica igualou o tricampeão FC Porto na Liga de futebol, mas a primeira vitória na prova foi conquistada em Paços de Ferreira com grande sofrimento, por 4-3, no encerramento da terceira jornada.
Nuno Gomes, Maxi Pereira, Cardozo e Jorge Ribeiro apontaram os golos do Benfica, enquanto Ozéia, Rui Miguel e William marcaram para a equipa da casa, numa partida frenética, em que os anfitriões empurraram os lisboetas para a sua área nos minutos finais, em busca do empate.
A primeira vitória no campeonato permitiu ao Benfica apanhar na classificação o tricampeão FC Porto, ambos com cinco pontos, menos quatro que o duo de líderes: o Nacional e o rival Sporting.
A uma semana do importante jogo com o Sporting, o técnico do Benfica, Quique Flores, surpreendeu, mas acertou, ao colocar Jorge Ribeiro e Ruben Amorim no onze, nos lugares de Léo e Di Maria, enquanto Nuno Gomes surgiu ao lado de Cardozo no ataque.
Já o treinador do Paços de Ferreira apostou em três médios defensivos - Pedrinha, Paulo Sousa e Filipe Anunciação - e num trio atacante formado por Tatu, William e Edson, deixando Cristiano no banco.
O Benfica entrou de rompante no encontro e fez o primeiro aviso num livre de Carlos Martins aos cinco minutos, mas o lance foi anulado por fora-de-jogo de Sidnei, o seu primeiro do jogo.
Dois minutos depois, numa bela jogada do contra-ataque "encarnado", Nuno Gomes fez o primeiro golo, na sequência de uma combinação entre Carlos Martins e Reyes, com o espanhol a cruzar para o remate, de primeira, do internacional português.
Tatu conseguiu sacudir a pressão encarnada com um remate de fora da área e o Paços de Ferreira acabou por empatar, aos 13 minutos: pontapé de canto e Ozeia a aproveitar um mau alívio de Reyes para fazer o 1-1.
O segundo golo do Benfica, no entanto, não tardou muito e surgiu após outra boa jogada, com Maxi Pereira a acorrer de forma oportuna a uma defesa incompleta de Bruno Conceição, a remate de cabeça de Nuno Gomes.
Aos 43 minutos, Bruno Paixão assinalou grande penalidade por mão na área de Tiago Valente, e Cardozo aumentou a vantagem da equipa visitante no minuto seguinte, na marcação da respectiva grande penalidade.
No segundo tempo, o Benfica adormeceu e a equipa da casa, sempre atrevida, acabou por aproveitar. Aos 60 minutos, na sequência de um canto, Filipe Anunciação cabeceou e obrigou Quim a boa defesa. 
O guarda-redes encarnado ficou mal na "fotografia" aos 63 minutos, ao oferecer o segundo golo aos pacenses, deixando cair a bola de forma comprometedora para o remate vitorioso Rui Miguel.
O Paços de Ferreira acreditou que podia chegar ao empate e provocou calafrios à defesa "encarnada", enquanto Reyes e Aimar, já em campo, tentavam acordar o Benfica.
Aos 76 minutos, Jorge Ribeiro tranquilizou os lisboetas, aumentando a vantagem com um forte remate de fora da área que só parou no fundo da baliza do impotente Bruno Conceição.
Parecia que o jogo estava sentenciado, mas William aproveitou as fragilidades defensivas do Benfica e reduziu para 4-3 aos 86 minutos, lançando a partida para um final impróprio para cardíacos.
Os pacenses bem carregaram, mas a vitória sorriu ao Benfica, com Quim a transformar-se em salvador, ao evitar o golo do Paços de Ferreira por duas vezes antes do apito final.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.