China

Banco Central reduz dinheiro disponível para empréstimos para evitar crise no mercado de crédito


 

Lusa / Ao online   Economia   13 de Out de 2007, 12:17

O banco central da China anunciou hoje que vai aumentar, pela oitava vez este ano, o montante de fundos que os bancos devem cativar como reservas, para evitar uma crise de crédito devido a uma bolha de investimento.
    O objectivo é “reforçar a gestão da liquidez no sistema bancário e atenuar o crescimento excessivo do crédito”, explicou o banco central chinês, em comunicado divulgado na sua página de Internet.

    A diminuição da quantidade de dinheiro disponível para empréstimos visa assim evitar uma crise financeira ou um aumento excessivo da inflação na China.

    Esta medida do banco central já era esperada pelos analistas e sucede-se a diversas subidas das taxas de juro e à aplicação de tectos ao investimento em imobiliário, indústria e outros sectores de actividade, numa tentativa do governo de Pequim para arrefecer o mercado de crédito.

    A obrigatoriedade de aumento dos fundos permanentes dos bancos sucede-se também à divulgação dos últimos dados sobre a inflação chinesa, que revelam que a taxa subiu em Agosto para 6,5 por cento, registando a maior subida mensal em 11 anos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.