Aumento de impostos vai pesar no crescimento económico a longo prazo


 

Lusa/AO online   Economia   9 de Out de 2012, 09:57

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alerta esta terça-feira países como Portugal que um "amplo aumento de impostos", aliado a um intenso ajuste orçamental, vai pesar no crescimento económico a longo prazo.

"Em geral, o ajuste orçamental deve resultar em finanças públicas ligadas a um crescimento eficiente após a fase da consolidação", comenta o Fundo, que se mostra preocupado com "alguns países" sob um "grande ajuste" económico, fundamentalmente assente em "cortes no investimento e amplos aumentos de impostos".

A entidade publicou hoje uma revisão do seu "Fiscal Monitor", um documento sobre políticas orçamentais atualizado em abril e outubro de cada ano.

No texto, o FMI aponta também que o progresso económico mais lento em economias avançadas deve-se à magnitude do choque das medidas anticrise e à lenta recuperação posterior, "mas em alguns casos também devido a altas taxas de juros, que são negativamente afetadas pelas incertezas políticas e fragilidades bancárias".

A entidade pede também que exista um "grau adequado de progressividade em tributação e acesso a benefícios sociais", cenário "imperativo" para "limitar" os efeitos sociais negativos de pacotes de ajustamento aplicados em países como Portugal.

Em países sob ajuda externa, o Fundo reitera a necessidade de que, "na medida em que as condições de financiamento o permitam", tais ajustamentos devem prosseguir a um ritmo "consistente com o estado da economia".

Numa análise mais global, e reconhecendo o "progresso substancial na restauração da sustentabilidade das finanças públicas" de diversos Estados, as vulnerabilidades orçamentais permanecem elevadas", realça o FMI, preocupado com a exposição de alguns países, em particular da zona euro, aos "caprichos dos mercados financeiros".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.