Zardari quer "acções firmes" contra organizadores dos ataques de Bombaim


 

Lusa/AO Online   Internacional   4 de Dez de 2008, 09:18

O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, repetiu hoje que o seu governo está determinado a realizar "acções firmes" se os organizadores dos ataques de Bombaim estiverem no Paquistão.
 "O governo não se limitará a ajudar no inquérito, mas aplicará acções firmes contra qualquer paquistanês, cuja implicação nos ataques seja demonstrada", prometeu o chefe de Estado num comunicado, divulgado no final de um encontro com a secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice.

    A tensão é grande entre as duas potências militares nucleares da região - a Índia e o Paquistão -, com Nova Delhi a acusar islamitas sedeados no Paquistão de terem planeado e perpetrado os ataques de Bombaim, que fizeram 188 mortos na passada semana.

    "Encontrei os dirigentes paquistaneses verdadeiramente concentrados" no drama de Bombaim e "comprometidos" a cooperar com a Índia na investigação, declarou Rice no final de dois dias de uma missão de "emergência" para conter a crise entre os dois "irmãos-inimigos" da região.

    Desde as primeiras acusações da Índia, as mais altas autoridades paquistanesas, entre as quais e por diversas vezes Zardari, prometeram punir com severidade os responsáveis dos ataques que se encontrem no Paquistão se Nova Delhi apresentar provas da sua implicação.

    "O Paquistão está determinado a assegurar que ninguém utilize o seu território para acções de terrorismo, quaisquer que sejam", indica ainda o comunicado de Zardari.

   

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.