Viabilizados 1,2 milhões de euros para Universidade dos Açores

Viabilizados 1,2 milhões de euros para Universidade dos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   25 de Set de 2013, 19:49

O secretário de Estado do Orçamento deu o aval à disponibilização de uma verba de 1,2 milhões de euros para a Universidade dos Açores fazer face às dificuldades com que é confrontada no arranque do ano letivo.

"Desloquei-me ontem [terça-feira] expressamente a Lisboa para falar com o secretário de Estado do Orçamento sobre as dificuldades financeiras que a Universidade dos Açores está a ter no que concerne ao aumento dos fundos disponíveis para setembro, visando começar o ano letivo com os vários docentes convidados necessários para lecionar os cursos que nós temos", revelou hoje o reitor da academia açoriana, Jorge Medeiros.

O Ministério da Educação e Ciência revelou na semana passada que autorizou uma transferência de fundos para a Universidade dos Açores para que a academia pudesse justamente fazer face aos problemas financeiros com que é confrontada na abertura do ano letivo.

Jorge Medeiros afirmou, em declarações aos jornalistas em Ponta Delgada, que face ao montante agora viabilizado, as várias unidades curriculares que ainda não tinham tido início irão arrancar a 1 de outubro.

O reitor, dirigindo-se aos alunos que dependiam destas unidades curriculares, declarou que foi com "imenso pesar" que a universidade "tomou essas medidas", acrescentando que a academia "tem de se sujeitar" às regras do código do procedimento administrativo.

"Não poderíamos estar a contratar docentes sem termos da parte do Governo da República a sua concordância e autorização. Foi isso que aconteceu e, felizmente, tudo se vai normalizar", frisou.

Jorge Medeiros considerou que a verba disponibilizada "é suficiente" para o ano letivo 2013-2014, mas para os próximos anos disse que há que apurar os valores disponíveis.

O reitor recordou que estão em curso negociações com o Ministério da Educação e Ciência visando o estabelecimento de um plano de convergência para os próximos três anos que faça com que a universidade deixe de ter estas preocupações "todos os anos".

"Todos os anos, o orçamento que é atribuído à Universidade dos Açores não é suficiente, atendendo às suas especificidades e à região arquipelágica onde está instalada, o que gera vários custos adicionais que devem, de alguma maneira, ser repostos", declarou.

Jorge Medeiros explicou que para a academia funcionar na sua plenitude "deveria ter uma massa estudantil" de 6 mil alunos, possuindo apenas 4 mil "devido" à sua localização geográfica.

A universidade teve cursos este ano com uma "baixa procura", havendo assim de "repensar" no futuro a "oferta letiva", visando a sua "rentabilização", afirmou.

No âmbito das negociações com o Ministério, cuja conclusão deverá acontecer nas próximas semanas, "nunca foi pensada" uma "possível reformulação" da tripolaridade da Universidade dos Açores, ressalvou.

O reitor apontou que a redução de 10 por cento da massa salarial que o plano de convergência contempla "poderá não ser necessária" se nos próximos três anos a Universidade dos Açores tiver medidas que possam "rentabilizá-la".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.