Vestígios de melamina encontrado em bolachas nas Filipinas


 

Lusa/AOonline   Internacional   22 de Out de 2008, 12:29

As autoridades de saúde filipinas anunciaram ter encontrado vestígios de melamina em dois tipos de bolachas importadas da China, aumentando para seis o número de produtos contaminados pela substância tóxica.
O secretário de Estado da Saúde filipino, Francisco Duque, especificou que se trata de biscoitos "Lotte Snack" e "Lotte B&W" da marca Koala, uma das 30 que está a ser investigada e que será retirada de todas as lojas até nova ordem.

    Previamente, o governo filipino informara ter detectado melamina em duas marcas de leite, numa bebida energética e numa marca de bolachas, todas procedentes da China.

    A melamina é um componente químico industrial usado no fabrico de plásticos e misturado no leite para simular que este é rico em nutrientes, um processo habitual na China, onde até à data causou a morte de quatro bebés.

    O caso foi revelado pela imprensa há cerca de um mês, depois de concluídos os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, mas já era conhecido de algumas autoridades locais e, segundo o Ministério chinês da Saúde, as quatro mortes provocados pelo leite contaminado ocorreram todas entre Maio e Agosto.

    No conjunto, 43.603 crianças receberam tratamento hospitalar por terem ingerido leite contaminado com melamina, produto tóxico que causa complicações renais.

    O escândalo do leite contaminado, que envolveu três das maiores empresas chinesas do sector, "prejudicou gravemente a saúde das crianças e "arruinou a reputação" da indústria de lacticínios do país, reconheceu o governo chinês.

    A polícia deteve 28 suspeitos e três altos funcionários, entre os quais o primeiro secretário do partido comunista de uma capital provincial e o director da Administração Central do Controle de Qualidade e Supervisão foram demitidos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.