Tribunal de Contas aponta falta de rigor nas contas da saúde


 

Lusa / AO online   Nacional   22 de Nov de 2007, 16:30

Um relatório do Tribunal de Contas entregue hoje no Parlamento aponta falta de rigor nas contas da Saúde de 2006, o que levou o Bloco de Esquerda a chamar o ministro da tutela à Assembleia da República.
O relatório do TC conclui que a informação económico-financeira consolidada do Serviço Nacional de Saúde, quer de 2005 quer de 2006, "continua a não dar uma imagem verdadeira e apropriada da situação financeira" do SNS, nem "dos resultados do conjunto das entidades que integram o SNS".

A metodologia de consolidação "não garante que o resultado dessa informação seja exacto e integral", assinala o relatório sobre o "Acompanhamento da Situação Económico Financeira do SNS de 2006", hoje entregue à Assembleia da República.

"O relatório arrasa as contas divulgadas pelo Governo relativas ao exercício de 2006 do SNS e põe em causa o rigor e a transparência. Continua o sub-financiamento crónico e o défice não pára de aumentar", criticou o deputado do BE João Semedo.

Em declarações aos jornalistas no Parlamento, João Semedo anunciou que requereu hoje a presença do ministro da Saúde, Correia de Campos, no Parlamento, bem como do presidente do Tribunal de Contas, para "que sejam clarificadas estas diferenças".

Para João Semedo, as situações mais graves referidas no relatório do Tribunal de Constas são as "operações de cosmética" em que "um saldo negativo de 68 milhões de euros passou a um saldo positivo de 27 milhões de euros", nas contas de 2005.

Considerando que não se trata apenas de uma questão de metodologia, João Semedo destacou o "agravamento do volume do défice" de 2005 para 2006, o que, frisou, confirma "os erros da política seguida por Correia de Campos".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.