Tratado de Lisboa não defende interesses da Pesca

Tratado de Lisboa não defende interesses da Pesca

 

AO Online   Regional   31 de Out de 2007, 11:54

O presidente da Federação das Pescas dos Açores, Liberato Fernandes, afirmou à Açores TSF que a recém-aprovada proposta do Tratado de Lisboa não defende os interesses nacionais no que diz respeito à gestão dos mares.
Recorde-se que a Federação das Pescas entregou há cerca 3 anos na Assembleia da República um documento com 27 mil assinaturas contra uma alínea do Tratado que prevê que as actuais competências dos Estados-membros em matéria de gestão dos recursos biológicos do mar passem para a alçada exclusiva da União Europeia.

Liberato Fernandes defende ainda a ratificação do Tratado de Lisboa por referendo e deixa uma promessa de empenho na campanha contra o voto a favor no Tratado

A ratificação do Tratado de Lisboa vai ser um dos assuntos em discussão no II Congresso Regional das Pescas que começa amanhã na cidade da Horta. Este congresso que vai contar com mais de 150 participantes para  debater a formação de pescadores e a comercialização do pescado, bem como a sustentabilidade das pescas.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.