Terceira Tech Island já fixou oito empresas na Praia da Vitória

Terceira Tech Island já fixou oito empresas na Praia da Vitória

 

LUSA/AO Online   Regional   4 de Abr de 2019, 14:45

O projeto Terceira Tech Island já permitiu fixar oito empresas ligadas à informática na Praia da Vitória, que empregam cerca de 60 pessoas formadas em programação desde outubro de 2017.

“Já estão instaladas aqui na Praia da Vitória oito empresas, muitas delas como a Infosistema, de grupos internacionais, que trabalham para o mundo, mas o nosso objetivo é que esta dinâmica cresça em muito”, adiantou o vice-presidente do Governo Regional dos Açores, Sérgio Ávila.

O governante falava na cerimónia de inauguração da empresa Infosistema Azores, que criou 10 postos de trabalho, mas pretende atingir 30 a 50 nos próximos anos.

“A Infosistema Azores já está em processo de entregar produtos e soluções ao mercado internacional, apenas dois ou três meses após ter sido iniciada a operação”, avançou o presidente do conselho de administração da Infosistema, Gonçalo Caeiro.

A consultora tecnológica, integrada no grupo Joyn, desenvolve soluções tecnológicas para empresas de vários países, sobretudo na área da banca e dos seguros.

Na ilha Terceira, segundo Gonçalo Caeiro, será feito um investimento no desenvolvimento das áreas de baixo código, aprendizagem automática e inteligência artificial.

Até 2020, o vice-presidente do Governo Regional estima que o número de postos de trabalho criados em empresas de informática na Praia da Vitória compense os que foram extintos com a redução militar norte-americana na base das Lajes.

“Temos a capacidade de criar, até ao final do próximo ano, 400 postos de trabalho no âmbito do Terceira Tech Island. É um objetivo que eu considero cada vez mais que está ao nosso alcance”, frisou.

Segundo Sérgio Ávila, o projeto atrai “cada vez mais empresas”, que “querem crescer” e contratar mais programadores.

“O Terceira Tech Island está a revolucionar claramente a Praia da Vitória e a ilha Terceira e está a criar um verdadeiro 'hub' tecnológico na ilha Terceira”, sublinhou.

Na inauguração da Infosistema Azores, instalada num edifício no centro da cidade, onde já funciona desde setembro outra empresa do género, o presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Tibério Dinis, considerou que o futuro do concelho passa pelo crescimento da área da programação.

“Passámos de uma empresa que aqui existia neste edifício tradicional, que importava e que comercializava localmente, para um conjunto de empresas que estão viradas para o futuro, que criam conhecimento, que exportam os seus produtos um pouco para todo o mundo e que criam mais emprego do que alguma vez foi criado”, frisou.

Desde outubro de 2017, a 'start up' Academia de Código já formou, na ilha Terceira, 60 pessoas em linguagem ‘java script’, que foram na sua maioria absorvidas pelas empresas instaladas na Praia da Vitória, e no início de maio outros 34 alunos terminam uma formação intensiva de 14 semanas.

Na ITUp, também já instalada na Praia da Vitória, estão 11 alunos, que aprendem a linguagem de código ‘outsistems’, em 12 semanas.

Em maio, inicia-se um novo curso de programação em ‘java script’ com 40 vagas e, em julho, arranca um curso de programação em ‘outsistems’, com 20 vagas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.