Socialistas e comunistas com candidaturas inéditas na emigração

Socialistas e comunistas com candidaturas inéditas na emigração

 

Lusa/AO Online   Nacional   9 de Set de 2019, 10:02

As candidaturas às próximas legislativas do ministro Santos Silva, por Fora da Europa, e da deputada comunista Rita Rato, na Europa, surgem como as escolhas mais inéditas nos círculos da emigração, onde tradicionalmente apenas elegem PS e PSD.

O Partido Socialista (PS) surpreendeu ao apresentar, às legislativas de 06 de outubro, como cabeça-de-lista no círculo eleitoral Fora da Europa, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Na emigração, estão em disputa quatro mandatos e Fora da Europa o PS não consegue eleger desde 1999 — ano em que conquistou, além dos dois assentos da Europa, um por Fora da Europa, dando um empate parlamentar de 115/115 deputados.

A escolha de Santos Silva, 63 anos, figura destacada da hierarquia socialista e do Governo e que habitualmente concorria pelo círculo do Porto, de onde é natural, está a ser encarada como uma aposta dos socialistas para conquistar ao PSD um dos dois mandatos em disputa.

Nas legislativas de 2015, o PS foi apenas a terceira força política mais votada neste círculo, conquistando 10,83% dos votos e ficando atrás do Nós Cidadãos, que teve 17,90%.

As eleições foram ganhas pela coligação PSD/CDS-PP com 48,46% dos votos.

Os socialistas terão como número dois da lista Fora da Europa o advogado Paulo Fernandes Porto, nascido no Brasil, com origens na Madeira e escritórios em São Paulo e no Porto.

O Partido Social Democrata (PSD) voltou a apostar no professor e veterano deputado pela emigração, José Cesário.

Deputado desde 1983, primeiro pelo círculo de Viseu e depois por Fora da Europa, José Cesário foi ainda secretário de Estado das Comunidades e da Administração Local em governos social-democratas.

José Cesário, 61 anos, terá como segundo da lista o empresário residente no Rio de Janeiro Jerónimo Rodrigues Lopes.

Ainda por Fora da Europa concorre, pelo CDS-PP, Gonçalo Nuno Santos, antigo diretor do Centro das Comunidades Madeirenses e ex-deputado social-democrata por este círculo na IX e X legislaturas.

A lista do Bloco de Esquerda (BE) apresenta como cabeça de lista o ator e encenador João Branco, 50 anos, residente em Cabo Verde e como número dois a ativista social Maria Sameiro Mendes, 52 anos, de São Tomé e Príncipe.

A Coligação Democrática Unitária (CDU) tem como cabeça-de-lista por este círculo Dulce Kurtenbach, 72 anos, professora aposentada da Universidade de Zhoukou, na região chinesa de Henan, e membro da Organização da Emigração do PCP.

O Partido das Pessoas, dos Animais e da Natureza (PAN) apresenta Catarina Ressurreição, 40 anos, criadora de uma mercearia e oficina biológica em Cabo Verde.

Pelo círculo de Fora da Europa concorrem 20 dos 21 partidos e movimentos candidatos às legislativas de outubro.

No círculo da Europa, a maior surpresa foi a candidatura da atual deputada do PCP Rita Rato, 36 anos, eleita desde 2009 nas listas por Lisboa, como cabeça-de-lista num círculo em que a CDU nunca elegeu.

Licenciada em Ciência Política e Relações Internacionais pela Universidade Nova de Lisboa, foi atleta federada. É militante do PCP desde 2001 e membro da Direção Regional de Lisboa do PCP.

Rita Rato terá como número dois na lista Sebastião Viola, 41 anos, médico psiquiatra e psicanalista em Cardiff, no Reino Unido.

PS e PSD, que partilham atualmente os dois lugares em disputa, repetem as apostas nos respetivos deputados.

Paulo Pisco, ex-jornalista, 58 anos, que representa este círculo há três legislaturas consecutivas, lidera a lista socialista, que apresenta em segundo lugar Nathalie Oliveira, autarca lusodescendente na cidade francesa de Metz.

O candidato e atual deputado é o coordenador dos deputados socialistas na Comissão dos Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas assumiu recentemente funções relevantes na área das migrações no âmbito da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa.

Pelo PSD concorre o também deputado Carlos Gonçalves.

Licenciado em geografia, ex-técnico de serviço social, residente em Paris, 58 anos, Gonçalves representa os emigrantes da Europa desde 2002, tendo ocupado também o cargo de secretário de Estado das Comunidades no XVI Governo Constitucional liderado por Pedro Santana Lopes.

Carlos Gonçalves terá como número dois da lista Vitor Alves Gomes, gestor de programas da Comissão Europeia e residente na Bélgica.

O Bloco de Esquerda apresenta pela Europa Tiago Pinheiro, 36 anos, enfermeiro residente em Londres e Cristina Semblano, 63 anos, economista e bancária, de Paris.

A cabeça-de-lista do CDS-PP é Melissa Silva, 28 anos, filha de emigrantes portugueses residentes em Paris e formada em comunicação, relações públicas e publicidade.

Pelo PAN concorre Gonçalo Galvão Gomes, 33 anos, empregado bancário residente em Berlim, com trabalho no apoio à integração de refugiados.

O universo eleitoral nos dois círculos da emigração é de 1.465.950 eleitores, 895.515 na Europa e 570.435 Fora da Europa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.