Andorra

Sobe para cinco o número de mortos nas obras do túnel


 

Lusa/AO Online   Nacional   8 de Nov de 2009, 10:53

 O número de operários mortos nos trabalhos de construção de um túnel em Andorra subiu hoje para cinco, disse fonte oficial do Governo de Andorra, que se escusou a precisar se também a quinta vítima mortal era portuguesa.

"O balanço de vítimas mortais subiu para cinco. Uma delas [a quarta vítima mortal] era a pessoa que foi resgatada sábado e levada para o hospital em estado crítico, com politraumatismos e hipotermia", afirmou à Lusa a fonte do governo andorrenho.

"O resgate deste operário [que entretanto morreu] permitiu localizar, já morta, a única pessoa que estava desaparecida até ao momento. Ou seja, neste momento temos quatro mortos soterradas debaixo dos escombros" e um quinto operário que morreu no hospital, acrescentou.

O último balanço de sábado dava conta de três mortos confirmados, mas ainda não removidos dos escombros, um desaparecido e um operário localizado ainda com vida soterrado até à cintura. Outros seis feridos tinham sido levados para vários hospitais, com feridas de gravidade diversa.

Este cenário foi actualizado esta manhã. O sobrevivente que estava soterrado não resistiu aos ferimentos e à hipotermia e o desaparecido foi localizado sem vida. Tal como os três mortos iniciais, também este não foi ainda removido dos escombros.

De acordo com a imprensa espanhola todos os operários afectados no momento do acidente eram portugueses. No entanto, o Governo de Andorra escusa-se, de momento, a confirmar identidades e nacionalidades das vítimas.

O conselheiro das comunidades portuguesas em Andorra disse esta manhã à Lusa que quatro das vítimas mortais são operários portugueses.

Segundo José Manuel Silva, o trabalhador português removido com vida também não resistiu aos ferimentos causados pelo desmoronamento nem à hipotermia associada às 12 horas em que esteve debaixo dos escombros.

"Confirma-se. O senhor que esteve soterrado 12 horas no cimento e nas ferragens saiu com vida e infelizmente morreu hoje de madrugada, às 04:00", disse José Manuel Silva.

O trabalhador português "morreu no hospital, devido à hipotermia", acrescentou a mesma fonte. "Por ter estado 12 horas metido entre os ferros", concluiu.

"Quanto ao ferido grave em Barcelona temos informação que está fora de perigo", disse igualmente.

Dos 11 trabalhadores afectados pelo desmoronamento, seis foram retirados, com feridas de diversos graus, ao Hospital Nostra Senyora de Meritxell, em Escaldes-Engordany.

O mais grave, diagnosticado com um traumatismo cranio-encefálico, foi depois levado para Barcelona, para o Hospital Vall d’Hebron, onde está "estável dentro da gravidade".

O acidente deu-se ao fim da manhã de sábado, quando ruiu a ponte exterior que liga a estrada principal à boca do túnel de Dos Valires, que une as localidades de Encamp e La Massana. As obras deveriam estar concluídas no próximo ano.

O acidente ocorreu cerca das 12:00 locais por causas ainda desconhecidas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.