Sindicatos da SATA alertam para "ansiedade" face a Orçamento do Estado

Sindicatos da SATA alertam para "ansiedade" face a Orçamento do Estado

 

Lusa/AO online   Regional   17 de Dez de 2013, 16:48

O porta-voz da plataforma de sindicatos do grupo SATA considerou esta terça-feira que se está a gerar "uma ansiedade que ainda não está esclarecida" acerca do Orçamento do Estado para 2014 e suas consequências para os trabalhadores da empresa.

A plataforma de sindicatos da companhia aérea dos Açores e o Conselho de Administração da SATA reuniram-se hoje, em Ponta Delgada, visando, de acordo com o porta-voz dos trabalhadores, Jaime Prieto, encontrar "uma solução de equilíbrio, muito nos moldes do que foi negociado para 2013”, face ao novo Orçamento do Estado.

A plataforma sindical e a administração da SATA chegaram a um acordo em maio, depois de duas greves convocadas por não ter sido aplicado na companhia aérea açoriana um acordo conseguido na TAP com o objetivo de evitar os cortes salariais entre 3,5% e 10% previstos no Orçamento do Estado deste ano.

“Concretamente ainda não esteve nada em cima da mesa. O que existe é uma vontade, esperemos nós que partilhada por todos os intervenientes, para resolver estas situações críticas e evitar, o quanto antes, qualquer tipo de instabilidade para os trabalhadores, para o futuro da empresa e sua laboração normal”, declarou Jaime Prieto à agência Lusa, no final do encontro.

O porta-voz da plataforma sindical reivindica “um pouco mais de celeridade em todo este processo que, se não existe, não pode ser imputada à proatividade e à vontade com que os trabalhadores estão a participar nas negociações”.

Jaime Prieto referiu que “já se poderia estar numa fase muito mais avançada” das negociações, frisando que existem “alguns entraves adicionais provocados por situações exógenas que nada têm a ver com os trabalhadores mas com as próprias relações da empresa e o seu acionista”.

“De qualquer forma, ainda estamos esperançados e empenhados para que a mesma seja encontrada em tempo útil e de forma razoável para todas as partes”, afirmou.

Jaime Prieto revelou que pode haver “detalhes que tecnicamente poderão ser ajustados” em função do atual acordo em vigor entre o grupo SATA e a plataforma de sindicatos.

Jaime Prieto referiu que os sindicalistas já mantiveram uma reunião com o secretário regional dos Transportes e Turismo dos Açores, que tutela a companhia, e que “deu a ideia de que a celeridade era possível”.

O porta-voz da plataforma salvaguarda, contudo, que "se assiste hoje a algum desacelerar do final do processo", apesar de os sindicatos terem recebido a garantia, por parte da administração da empresa, de que, "em tempo útil, se encontrará uma solução”.

Jaime Prieto espera que o cenário que se viveu há cerca de um ano na SATA “sirva de exemplo para que o futuro seja melhor”.

A agência Lusa tentou obter declarações da Administração da SATA, mas sem sucesso.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.