Açoriano Oriental
Sindicalistas abandonam Ministério das Finanças depois de reunião inconclusiva
Os sindicalistas que ocuparam esta terça-feira o Ministério das Finanças abandonaram o local depois de uma reunião inconclusiva com o secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino.

Autor: Lusa/AO online

Quase três horas depois de terem invadido o Ministério das Finanças, os dirigentes e ativistas sindicais desmobilizaram, depois de terem sido recebidos por Hélder Rosalino, a quem deram conta dos motivos do protesto.

O coordenador do Sindicato dos Trabalhadores do Municipio de Lisboa, Vitor Reis, considerou que a reuniao de hoje com o secretário de Estado da Administração Pública não foi conclusiva.

"O encontro com o secretário de Estado não foi conclusivo. Os trabalhadores vieram aqui mostrar que não aceitam o Orçamento do Estado (OE) para 2014 e exigir a demissão deste Governo", disse o sindicalista aos jornalistas à saida da reunião com Hélder Rosalino.

O secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino, aceitou reunir-se com uma delegação dos sindicalistas que ocuparam o Ministério das Finanças ao início da tarde em protesto contra os cortes previstos no Orçamento do Estado, hoje aprovado.

Vitor Reis, que liderou a delegação sindical, disse aos jornalistas que transmitiram ao secretário de Estado que a política do Governo "não conduz a resultados mas sim à falência dos serviços públicos".

De acordo com o sindicalista, a ocupação do Ministério foi decidida esta manhã pelos trabalhadores.

Ao início da tarde, grupos de sindicalistas da CGTP ocuparam os ministérios da Economia, da Saúde, do Ambiente e das Finanças, exigindo reuniões com os ministros responsáveis por cada uma das áreas para com eles discutir os cortes previstos no Orçamento do Estado para 2014.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.