Educação Especial

Secretário de Estado nega que 100 mil crianças estejam sem apoio


 

Lusa/AO online   Nacional   10 de Set de 2008, 16:10

O secretário de Estado da Educação negou que mais de 100 mil alunos com necessidades educativas especiais estejam sem apoio pedagógico, como afirmou à Lusa um especialista em Educação Especial da Universidade do Minho.
"Desminto em absoluto que mais de cem mil crianças estejam sem apoio. Não tem o mínimo de fundamento e é totalmente inverosímil", afirmou Valter Lemos.

    As declarações do secretário de Estado surgem na sequência de uma notícia divulgada hoje pela agência Lusa, na qual o coordenador da área de Educação Especial da Universidade do Minho, Miranda Correia, avança aquele número, considerando que a falta de apoio pedagógico se transforma, em muitos casos, "em graves problemas de insucesso escolar".

    O especialista afirma ter chegado àquele dado baseando-se no facto de não existirem estudos efectivos do número de crianças com necessidades especiais e de o Ministério da Educação (ME) apresentar uma estimativa de cerca de 1,8 por cento, um valor "muito abaixo de qualquer estudo internacional".

    Em declarações à Lusa, Valter Lemos, que não especificou quantas crianças com necessidades educativas especiais terão apoio pedagógico no ano lectivo que hoje começa, afirmou ainda desconhecer o caso, igualmente noticiado hoje, de um rapaz com trissomia 21 a quem terá sido negada a hipótese de estudar numa instituição de educação especial.

    "O ME desconhece em absoluto essa situação. Nem a mãe [da criança], nem qualquer entidade expôs o caso a nenhum gabinete ministerial. Vamos averiguar a situação e, se se verificar que há algum fundamento, ela será resolvida", assegurou o secretário de Estado.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.