Eleições nos Estados Unidos

Rivais democratas de Hillary Clinton endurecem críticas à líder nas sondagens


 

Lusa/AO   Internacional   31 de Out de 2007, 07:05

A dois meses das primeiras votações primárias, Barack Obama e John Edwards endureceram, em debate televisivo na terça-feira, as críticas à sua rival e mais bem posicionada candidata à nomeação presidencial democrata, Hillary Clinton.
A franqueza, consistência e discernimento, que têm sido os alegados trunfos da campanha da senadora de Nova Iorque, foram exactamente o alvo das críticas dos seus principais rivais que participaram no debate em Filadélfia, Pensilvânia.

    Obama, senador do Illinois, começou imediatamente por dizer que Hillary mudou as suas posições sobre o Acordo Norte-americano de Comércio Livre (NAFTA), a prática de tortura e a guerra do Iraque.

    A liderança, disse Obama, não significa "mudar de posição sempre que seja politicamente conveniente".

    Edwards, antigo senador da Carolina do Norte, foi por vezes ainda mais duro, dizendo que Hillary "defende um sistema falido e corrupto em Washington" e reafirmou a sua acusação de que a candidata entrou na via "insensata".

    Hillary Clinton, colocada no debate entre os dois rivais, encolheu os ombros às críticas e sublinhou ser ela o centro das "conversas e consternação" entre os republicanos pela sua liderança nas sondagens.

    A senadora disse ter planos específicos para a Segurança Social, diplomacia e cuidados de saúde. "Tenho-me oposto aos republicanos, a George Bush e a Dick Cheney e continuarei a fazê-lo e penso que os democratas o sabem", disse.

    Hillary defendeu o seu voto no Senado a favor de considerar a Guarda Revolucionária do Irão como um grupo terrorista. Obama, Edwards e outros participantes disseram que essa posição pode ser lida por Bush como uma autorização para um ataque militar ao Irão.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.