Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO Online   Nacional   15 de Nov de 2009, 09:36

As escutas telefónicas do processo "Face Oculta" e a vitória de Portugal frente à Bósnia num jogo de qualificação para o Mundial de Futebol 2010 dominam hoje as manchetes nos jornais nacionais que se publicam em Lisboa.

O Diário de Notícias (DN) diz que o procurador-geral da República, Pinto Monteiro, contraria juiz e procurador de Aveiro sobre escutas ao primeiro-ministro José Sócrates, no âmbito do processo Face Oculta.

Aqueles responsáveis, segundo o DN, consideraram que Sócrates era suspeito de crime de atentado contra o Estado de Direito, baseando-se nas escutas de conversas entre o primeiro-ministro e Armando Vara.

A capa do DN destaca também o resultado do jogo Potugal Bósnia (1-0) e o golo de Bruno Alves que deixa a Selecção Nacional em vantagem para a segunda mão dos "play-off" de acesso ao Mundial 2010.

O Correio da Manhã destaca um "crime sádico" em Sintra, com três vítimas mortais, e também a vitória de Portugal sábado à noite.

O Jornal de Notícias (JN) dedica duas páginas ao processo "Face Oculta" e noticia que o procurador-geral tem mais cinco escutas ao primeiro-ministro, José Sócrates.

"Presidente do Supremo mandou destruir seis conversas telefónicas. Pinto Monteiro diz que não há indícios probatórios" é o subtítulo desta notícia de capa.

Na primeira página do JN está também a vantagem que Portugal conquistou no jogo contra a Bósnia.

O Público aposta nos mesmos temas, destacando que o procurador-geral não vê indícios de crime nas escutas a José Sócrates e que basta um empate a Portugal na Bósnia para chegar ao Mundial.

As escutas a Sócrates podem revelar insultos a Manuela Moura Guedes, escreve o 24Horas, segundo o qual o primeiro-ministro não aceita a divulgação do teor das conversas e Armando Vara, arguido no processo "Face Oculta", mantém o salário de 34.000 euros no BCP.

"Portugal vence a Bósnia por 1-0" é outro destaque do jornal.

Também as capas dos jornais desportivos são dedicadas a este jogo: O Jogo diz que o golo foi arrancado a ferros, o Record titula "Uma sorte do caravagio" e A Bola escreve que na Bósnia também é para ganhar.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.