Responsável militar iraniano ameaça com ataques suicidas no Golfo


 

Lusa / AO online   Internacional   29 de Out de 2007, 16:16

Um dirigente dos Guardiães da Revolução do Irão afirmou esta segunda-feira que as suas forças estão preparadas para lançar ataques suicidas no Golfo Pérsico caso "seja necessário".
"Se for necessário, podemos recorrer a elementos que estão preparados para o martírio", declarou o general de brigada Ali Fadavi, comandante dos Guardiães da Revolução, força armada regular responsável pela defesa dos valores da república islâmica.

"Este espírito (de mártir) existe actualmente em todas as unidades dos Guardiães da Revolução", disse também, citado pela agência iraniana Fars.

"Cada 'basidji' pode conseguir grandes feitos, como o mártir Fahmideh. A região do Golfo Pérsico e do Estreito de Ormuz é tão importante que mesmo uma pequena operação pode ter grandes consequências", disse o general de brigada.

Durante a guerra Irão-Iraque (1980-88), Mohamed Hussein Fahmideh, um rapaz de 13 anos, amarrou uma bomba ao corpo e fez-se explodir contra um tanque iraquiano na cidade de Khorramchahr, então ocupada pelo exército iraquiano.

O 'basij' é uma força criada pelo ayatollah Khomeini em 1979 e recentemente colocada sob a tutela directa dos Guardiães da Revolução.

A tensão entre o Irão e o Ocidente, em especial os Estados Unidos, aumentou nos últimos dias devido à decisão norte-americana de impor novas sanções, algumas das quais afectam directamente os Guardiães da Revolução, força que acusam de contribuir para a proliferação de armas de destruição maciça.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.