Pescas

Região deve gerir a sua zona marítima

Região deve gerir a sua zona marítima

 

Lusa / AO Online   Regional   14 de Out de 2009, 17:52

A Federação das Pescas dos Açores defendeu esta quarta-feira a necessidade da região gerir a zona marítima em volta do arquipélago, uma pretensão que é partilhada pelo sector e pelas autoridades regionais para evitar uma excessiva exploração dos recursos.
 "Vamos apresentar uma proposta que defende a necessidade de, nas regiões insulares que integram as zonas ultraperiféricas, a gestão das suas águas ser um usufruto para os pescadores regionais", afirmou o presidente daquela federação, Liberato Fernandes, em declarações à Lusa.

Liberato Fernandes, que falava à margem da reunião do Conselho Consultivo Regional das Águas Ocidentais do Sul, que hoje decorreu em Ponta Delgada, especificou que a intenção é que "as águas da Zona Económica Exclusiva dos Açores sejam exclusivamente para os pescadores açorianos", sublinha.

"Trata-se, no fundo, de termos autonomia na gestão das nossas próprias águas", acrescentou.

Nesta reunião esteve também em discussão a proposta de criação de um conselho consultivo regional para as regiões ultraperiféricas.

"São pretensões em torno das quais pretendemos promover um debate para que sejam enriquecidas por outro representantes das pescas da Madeira e Canárias", salientou Liberato Fernandes, que apresentou as duas propostas em nome da Federação das Pescas dos Açores.

O subsecretário regional das Pescas, Marcelo Pamplona, salientou que a descentralização da gestão das águas territoriais é uma questão que o executivo açoriano tem vindo a defender junto da União Europeia.

"Os Açores querem ter uma palavra activa na gestão das pescas nas 200 milhas, porque entendemos que a nossa zona de pesca é muito frágil e não aguenta uma sobreexploração", sustentou Marcelo Pamplona, acrescentando que esta posição é defendida por "todo o sector" das pescas na região.

Nesse sentido, defendeu a necessidade de ser apresentado "um documento comum, que tenha em conta as particularidades de cada região (Açores, Madeira e Canárias) para garantir que a pesca se fará por muitos e muitos anos".

Relativamente à proposta de criação do conselho consultivo das regiões ultraperiféricas, Marcelo Pamplona sublinhou que o governo açoriano "tem vindo a promover o desenvolvimento deste conceito", com o objectivo de criar "um lobbie que permita defender melhor os interesses das especificidades das pescas destas regiões na União Europeia".

A reunião de hoje teve como principal objectivo aproximar as posições das três regiões ultraperiféricas, tendo em vista a melhor defesa dos seus interesses.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.