Açoriano Oriental
Paris2024
Receios de segurança não foram esquecidos na apresentação da Missão

As preocupações com a segurança pairaram no discurso de Marco Alves na apresentação da Missão portuguesa aos Jogos Olímpicos Paris2024, que reuniu parte dos 73 atletas que vão representar o país numa cerimónia em Lisboa.

Receios de segurança não foram esquecidos na apresentação da Missão

Autor: Lusa/AO Online

“Não escondemos que estes Jogos são organizados num contexto geopolítico difícil”, notou o chefe da Missão portuguesa, antes de mencionar “os conflitos que assolam o mundo”, mas também os ainda desconhecidos “efeitos do ato eleitoral de domingo” em França no decorrer da competição.

Marco Alves discursava no Museu Nacional dos Coches – Picadeiro Real, em Lisboa, aconselhando a delegação lusa a ser vigilante e responsável.

O chefe de Missão destacou o facto de Portugal ir ter em Paris2024 “a maior representação feminina de sempre” entre os 73 apurados, dos quais “mais de metade cumpre o sonho olímpico pela primeira vez”.

Marco Alves tinha iniciado a sua intervenção agradecendo ao presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP) “por mais uma vez confiar” na sua equipa para levar o país aos Jogos Olímpicos.

Por ordem alfabética, os 15 desportos que literalmente levarão a bandeira de Portugal a Paris2024 desfilaram pelo palco instalado no Museu Nacional dos Coches, com a representação mais numerosa, a do atletismo, a ser a primeira, seguindo-se Vanessa Marina, responsável por qualificar o país para a estreia do breaking em Jogos Olímpicos.

Houve modalidades que se apresentaram com todos os seus qualificados, como o equestre, a ginástica ou o skate, enquanto outras, como o judo ou a natação, surgiram desfalcadas, e o triatlo e a vela sem os seus apurados, todos em estágio para preparar a entrada em competição.

Uma coisa comum a todos foi o sorriso rasgado com que receberam das mãos de Marco Alves a bandeira, que será ‘hasteada’ nos seus quartos na Aldeia Olímpica.

Depois, a presidente da Comissão de Atletas Olímpicos (CAO) evocou os 12 Trabalhos de Hércules para incentivar a Missão Portuguesa, a ir “mais rápido, mais alto e mais forte”.

“É esta a missão que os nossos atletas levam até Paris, sobretudo no mundo em que nos encontramos, tão conturbado e incerto no que à paz diz respeito. O COP e a CAO, cientes deste contexto, encontram-se, à imagem do construtor do Estádio Olímpico, procurando sempre criar as melhores condições para que a beleza do desporto vença e se sobreponha ao que se apresenta de negativo e nefasto neste mundo”, declarou Diana Gomes, antes de recordar: “Estaremos sempre convosco”.

Numa cerimónia curta, o momento mais informal aconteceu na apresentação de “A minha bandeira”, a música que será a banda sonora da Missão portuguesa em Paris2024, trauteada no palco pelas atletas Cátia Azevedo e Mariana Machado, pelo nadador Miguel Nascimento, e pelas judocas Catarina Costa, Patrícia Sampaio, Rochele Nunes e Bárbara Timo.

Feita a foto de família, estava oficialmente dado o tiro de partida para os Jogos Olímpicos Paris2024, que irão decorrer entre 26 de julho e 11 de agosto.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados