Violência Doméstica

Quase oito mil mulheres vítimas de violência doméstica nos primeiros nove meses do ano

Quase oito mil mulheres vítimas de violência doméstica nos primeiros nove meses do ano

 

Lusa / AO online   Nacional   24 de Nov de 2007, 11:01

Quase oito mil mulheres foram vítimas de violência doméstica nos primeiros nove meses deste ano, mais 514 em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Policia de Segurança Publica.
    Na véspera do Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres, que se assinala Domingo, dados recentes revelam que de Janeiro a Setembro deste ano a PSP registou 9.218 denúncias de violência doméstica, das quais 7.938 referem-se a casos de agressão a mulheres, 343 a menores de 16 anos e 703 a idosos.

    De acordo com os dados oficiais, 6.818 casos de violência doméstica denunciados foram praticados contra o cônjuge.

    Ainda segundo os últimos dados da PSP, do total de ocorrências, 1.240 são referentes a vítimas do sexo masculino, particularmente idosos e crianças.

    Relativamente aos agressores, os dados da PSP indicam que são na sua maioria do sexo masculino.

    Nos últimos nove meses, e no âmbito destas denúncias, a polícia deteve 105 agressores e apreendeu 25 armas de fogo de defesa e 13 de caça, usadas num quadro de violência doméstica.

    Em relação ao mesmo período do ano passado, estes dados revelam um aumento de 4 por cento dos casos de violência doméstica, uma vez que a PSP registou em 2006 um total de 8.828 ocorrências com indicação de 7.412 vitimas do sexo feminino, 1.195 do sexo masculino, 311 menores de 16 anos e 496 idosos.

    Luís Elias, subintendente da PSP e chefe da Divisão de Prevenção da Criminalidade e Delinquência, disse à Agência Lusa que apesar dos esforços das autoridades para combater o fenómeno, continuam a ser denunciados casos de violência contra as mulheres.

    Contudo, adiantou, os números poderão ser resultado de diversos cenários: um aumento do fenómeno, maior sensibilização por parte dos cidadãos, maior confiança nas autoridades para apresentar queixa ou maior coordenação dessas entidades.

    Segundo o subintendente, a PSP tem feito um esforço continuado na formação dos seus quadros para esta temática e, no que diz respeito à prevenção e combate da violência doméstica, tem apostado em duas áreas: na criação de equipas especializadas de proximidade e na investigação criminal.

    Actualmente, referiu, existem 22 equipas distribuídas por todos os distritos portugueses que fazem a primeira intervenção em caso de violência doméstica no atendimento e acompanhamento das vítimas.

    No programa de polícia de proximidade, a PSP tem actualmente afectos 250 agentes com formação nesta área.

    As vítimas de violência doméstica, frisou, são atendidas por equipas especiais no âmbito das esquadras de investigação criminal para que seja prestado um atendimento de maior qualidade e de colheita de elementos de prova.

    Por outro lado, acrescentou Luís Elias, a PSP tem também apostado na celebração de parcerias com diversas instituições públicas e privadas para que seja feito um trabalho em rede.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.