Bolsa

PSI 20 fecha a subir 0,29% animado pelo sector energético


 

Lusa / AO online   Economia   13 de Nov de 2009, 15:52

O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI-20, encerrou esta sexta-feira a subir 0,29 por cento, para 8.514,03 pontos, animado pelo sector energético e em linha com a Europa.
Dos vinte títulos que compõem o PSI-20, oito encerraram a subir, 10 fecharam a descer e dois permaneceram estáveis, numa sessão em que trocaram de mãos 31,76 milhões de títulos, no valor de cerca de 84,86 milhões de euros.

A liderar as subidas estiveram a Galp Energia, que subiu 1,58 por cento para 12,45 euros, e a EDP Renováveis, que avançou 0,93 por cento para 6,61 euros.

Ainda na energia, a EDP ganhou 0,55 por cento para 3,10 euros, enquanto a REN - a que menos valorizou entre as empresas com ganhos - subiu 0,50 por cento para 2,99 euros.

A animar o PSI 20 na sessão de hoje esteve ainda a Jerónimo Martins, que voltou a subir 0,73 por cento para 6,59 euros, um novo máximo do ano.

Sem alterações, face à sessão de quinta-feira, acabaram o BCP, nos 0,92 euros, e a Teixeira Duarte, a valer 1,08 euros.

Do lado das descidas, destaque pela negativa para todo o Grupo Sonae. A casa-mãe, a Sonae SGPS, liderou as quedas do PSI20, tendo cedido 2,12 por cento para 0,92 euros, no dia em que anunciou um aumento dos lucros em 42 por cento, para 96 milhões de euros, entre Janeiro e Setembro deste ano, e face ao período homólogo de 2008.

No entanto, esta queda arrastou ainda as suas subsidiárias Sonae Indústria e Sonaecom, que perderam 1,19 por cento para 2,47 euros e 0,84 por cento para 1,87 euros, respectivamente.

Ao Grupo liderado por Paulo Azevedo, seguiram-se as perdas da Portucel (-0,41 por cento), BPI (-0,37 por cento), Semapa (-0,34 por cento), Cimpor (-0,26 por cento) e Mota-Engil (-0,24 por cento). Ainda na tabela vermelha, o BES e a Portugal Telecom foram as que menos desvalorizaram, com quedas de 0,2 por cento para 4,99 euros e 0,01 por cento para 8,07 euros, respectivamente.

Na Europa, as bolsas negociavam maioritariamente em terreno positivo, à excepção do Cac de Paris, que seguia a perder 0,05 por cento.

Os ganhos nas restantes bolsas europeias oscilavam entre os 0,27 por cento de Madrid e os 0,41 de Frankfurt.

O índice Euronext 100 ganhava 0,22 por cento para 662,96 pontos e o índice DJ Stoxx 50 subia 0,49 por cento para 2.509,60 pontos.

Hoje, o dia ficou marcado pelos dados do Eurostat, que revelaram que a economia da zona euro cresceu 0,4 por cento no terceiro trimestre deste ano, face ao trimestre anterior, confirmando a saída da recessão técnica.

No entanto, quando comparado com o período homólogo, os países da zona euro registaram uma quebra na economia de 4,1 por cento.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.