Açoriano Oriental
Eleições/Madeira
PSD vence sem maioria absoluta

O PSD venceu hoje as eleições legislativas regionais antecipadas da Madeira, falhando por cinco deputados a maioria absoluta, quando estão apuradas todas as freguesias, segundo dados oficiais provisórios.

PSD vence sem maioria absoluta

Autor: Lusa /AO Online

De acordo com informação disponibilizada pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, os sociais-democratas obtiveram 36,13% dos votos (49.103 votos) e 19 lugares no parlamento regional, constituído por um total de 47 deputados.

Em segundo lugar, o PS conseguiu 11 eleitos (21,32 % dos votos, num total de 28.981), seguindo-se o JPP, com nove (16,89 % e 22.958 votos), o Chega, com quatro (9,23 % e 12.541 votos), o CDS-PP, com dois (3,96 % e 5.384 votos), e a IL (com 2,56 % e 3.482 votos) e o PAN (1,86 % e 2.531 votos), com um deputado cada. Saem da Assembleia Legislativa, em relação à anterior composição, o BE e a CDU.

A maioria absoluta requer 24 assentos.

No ano passado, nas anteriores regionais, o PSD e o CDS-PP, que concorreram coligados, elegeram 23 deputados, ficando a um da maioria absoluta, pelo que os sociais-democratas assinaram um acordo de incidência parlamentar com a deputada única do PAN.

Na altura, o PS elegeu 11 deputados (o mesmo número que agora), o Juntos Pelo Povo (JPP) cinco (menos quatro do que hoje) e o Chega quatro (o mesmo número), enquanto a CDU - Coligação Democrática Unitária (PCP-PEV), a Iniciativa Liberal (IL), o Pessoas-Animais-Natureza (PAN) e o Bloco de Esquerda (BE) elegeram um deputado cada.

Nas eleições de hoje apresentaram-se a votos 14 candidaturas, das quais sete não conseguiram eleger representantes: além da CDU e do BE, que até agora tinham um deputado cada, não elegeram o ADN, o Livre, o RIR, o MPT e o PTP.

A abstenção foi hoje de 46,60%, ao mesmo nível das eleições anteriores (46,65%), tendo votado 135.909 dos 254.522 eleitores inscritos.

As eleições antecipadas na Madeira ocorreram oito meses após as mais recentes legislativas regionais, depois de o Presidente da República ter dissolvido o parlamento madeirense, na sequência da crise política desencadeada em janeiro, quando o líder do Governo Regional (PSD/CDS-PP), Miguel Albuquerque, foi constituído arguido num processo em que são investigadas suspeitas de corrupção.

O PSD, que preside ao executivo regional desde as primeiras eleições em democracia, perdeu pela primeira vez a maioria absoluta em 2019 e, após as eleições, assinou um acordo com os democratas-cristãos, com os quais governou nas duas últimas legislaturas.

Na sequência do resultado eleitoral em 2023, a deputada regional eleita pelo PAN, Mónica Freitas, e o presidente do PSD/Madeira, Miguel Albuquerque, negociaram um acordo de incidência parlamentar que permitia à coligação ter o apoio da maioria dos deputados (24 eleitos), embora tangencial.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados